7 motivos para acreditar na conquista do ouro olímpico do Brasil no futebol masculino

Crédito da Foto: Lucas Figueiredo / MoWa Press

Neste sábado (20), o Brasil enfrenta a Alemanha na busca da inédita medalha de ouro dos Jogos Olímpicos. Coincidência do destinou, ou não, o duelo coloca o time brasileiro frente a seleção que lhe castigou na última Copa do Mundo. Apesar do medo de parte da torcida, o jogo desta tarde é outro, não é uma revanche ao 7 a 1 e o time de Rogério Micale merece toda a confiança.

LEIA MAIS:
BRASIL X ALEMANHA: VEJA A PROVÁVEL ESCALAÇÃO DO BRASIL NA FINAL OLÍMPICA
DERROTA DA SELEÇÃO FEMININA DE FUTEBOL COMOVE A WEB: “NÃO PRECISA DE MEDALHA”
BRASIL X ALEMANHA: VEJA A PROVÁVEL ESCALAÇÃO DA ALEMANHA PARA A FINAL OLÍMPICA

O Torcedores.com estudou o time brasileiro e lista sete motivos que podem fazer a diferença no jogo:

1 – Neymar: O maior craque do futebol brasileiro na atualidade é o grande diferencial do Brasil. Seu talento fora de série pode decidir a partida em qualquer segundo. O torcedor espera que seu foco seja jogar pela seleção nesta grande final e não para si próprio.

brasil x alemanha
Reprodução / Site oficial da CBF

2 – Defesa sólida: Marquinhos e Rodrigo Caio são os jogadores mais regulares do time de Rogério Micale durante a Rio-2016. Ambos marcam forte, sabem sair jogando, não perdem uma bola em disputas no físico e não deixaram as redes do goleiro Weverton serem vazadas. A dupla já foi testada contra times velozes e de atacantes pesados que abusam da força física, e provaram que merecem a confiança dos torcedores brasileiros.

Crédito da Foto: Lucas Figueiredo / MoWa Press
Crédito da Foto: Lucas Figueiredo / MoWa Press

3 – Sistema de jogo: As entradas de Luan e Walace deram uma cara nova a seleção de Micale. A dupla gremista compactou o meio de campo, diminuiu os espaços entre meio e ataque, trouxeram uma leitura de jogo mais veloz e sabem desequilibrar com a bola nos pés. De meras apostas, que entraram no jogo contra a Dinamarca, ainda na fase de grupo, Luan e Walace se tornaram fundamentais na caminha da seleção até a grande final.

Foto: Divulgação/Twitter oficial do zagueiro Marquinhos
Foto: Divulgação/Twitter oficial do zagueiro Marquinhos

4 – Renato Augusto: Assim como Neymar pode decidir em segundos, Renato tem o poder de colocar qualquer brasileiro na cara do gol num piscar de olhos. É torcer para o meio-campista estar num dia inspirado e os atacantes com os pés calibrados.

Crédito da foto: Divulgação/Rafael Ribeiro/CBF
Crédito da foto: Divulgação/Rafael Ribeiro/CBF

5 – Fator Maracanã: A última final brasileira dentro do estádio foi na Copa das Confederações de 2013 e terminou com goleada por 3 a 0 sobre a Espanha. Esquecendo o fantasma do “Mineiraço” e com o apoio em massa da torcida brasileira, o Maraca é o palco perfeito para a inédita conquista do ouro.

Crédito da Foto: Divulgação/ Rio 2016)
Crédito da Foto: Divulgação/ Rio 2016)

6 – Bom momento do conjunto brasileiro: Desde a partida contra a Dinamarca, os jogadores brasileiros estão jogando em conjunto e abdicaram da individualidade. O esquema “suicidá” de Micale, que ora deixa a equipe num 4-2-4 ou 4-2-3-1, tem tido grande resultado com o trabalho em conjunto para atacar e defender em bloco. A chave do título brasileiro é o trabalho em equipe.

Brasil x Iraque
Crédito da Foto: Divulgação/CBF

7 – Melhor geração olímpica da história: Sem dúvidas, na minha opinião, a Seleção Olímpica conta com a melhor fase de jovens revelações do futebol brasileiro. Dos tempos em que tínhamos de dois a três craques, o atual elenco de Micale conta com uma geração de ouro. Fora Neymar, Marquinhos e Renato Augusto, que são realidades fora do país, Luan, Gabriel Jesus, Gabigol, Zeca, Walace, Rodrigo Caio e cia são grandes estrelas na Rio-2016.

Crédito da Foto: Divulgação/CBF

E aí, torcedor, qual é o seu palpite para o jogo desta tarde? Deixe seu comentário no campo de comentários abaixo.



Jornalista com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação, Dialoog Comunicação e Comunicale.