Visão do estádio: Torcida que quebrou o recorde do Allianz merecia mais do Palmeiras

Palmeiras x Mirassol
Crédito da foto: Divulgação/SE Palmeiras

Tinha tudo para ser uma festa lindíssima. E até que foi em alguns momentos. Mas a torcida que fez a sua parte e quebrou o recorde de público do Allianz Parque merecia mais do Palmeiras no clássico contra o Santos.

LEIA MAIS:
Clássico faz Palmeiras bater recorde de público no Allianz Parque desde sua abertura; veja

Segundo escreveu Márcio Donizete aqui no Torcedores.com, o clássico entre Palmeiras e Santos fez o Verdão bater o recorde de público do Allianz Parque, em jogo que fechou a 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. De acordo com o borderô oficial da arena, 40.035 torcedores assistiram ao jogo no estádio, assim, superando os 39.935 que viram o duelo contra o Corinthians, pelo Brasileirão, em junho.

E a torcida que lotou o Allianz merecia o que? Que o Palmeiras tivesse uma atuação digna de líder do Brasileirão. O Verdão teve o início dos sonhos ao marcar com Mina o gol que abriu o placar da partida.

Mas aí, fatos incomuns começaram a acontecer. Moises sofreu uma contusão logo no início da partida. Cuca optou por escalar um jogador com características defensivas no seu lugar: Arouca. A escolha de Cuca ‘chamou’ o Santos para o campo do Palmeiras, que decidiu apostar nos contra-ataques. O jogo ficou travado, pegado, com baixo nível técnico, o que desestimulou o torcedor palmeirense que estava no Allianz Parque.

Mina também saiu por contusão (Dracena entrou no seu lugar), e Cuca usou a última substituição que tinha para tentar, sem sucesso, reverter a superioridade do Santos no segundo tempo. A superioridade do rival no fim do jogo contribuiu para não dar ao público palmeirense que estava no Allianz o espetáculo que eles mereciam por lotarem o estádio. No final, 1 a 1 ficou de bom tamanho pelo que foi o jogo. Mas não pelo que o torcedor esperava.

Claro que o Palmeiras caiu de ritmo e foi abaixo do esperado muito por causa dos desfalques e dos problemas físicos dos seus jogadores. Mas nem isso justifica a opção defensiva de Cuca na partida. O Verdão respeitou demais o adversário. Postura, a meu ver, incorreta para quem costuma se impor quando joga em casa.

Foi a primeira vez que acompanhei um jogo do Palmeiras no Allianz Parque, a convite da Rádio Esporte na Rede – trabalhei na transmissão como comentarista. Achei que a festa da torcida do Palmeiras foi muito bonita, principalmente no Hino Nacional e no primeiro gol. Mas saí com a impressão de que, para ser o famoso alçapão que costuma ser, o time precisa fazer a sua parte.



Jornalista de esportes desde 2005, com passagem pelo UOL e Terra. Editor de comunidades do Torcedores.com e blogueiro do renanprates.com