Putin rebate acusações da Wada sobre o doping na Rússia

Crédito da imagem: Divulgação/Presidência da Rússia

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, rebateu as acusações feitas pela Wada nesta segunda-feira (18). Em um relatório oficial, a Agência Mundial Antidoping aponta que o Ministério do Esporte Russo, juntamente com as entidades e agências locais, teriam criado um esquema de doping no país durante os Jogos de Inverno de Sochi, em 2014.

LEIA MAIS:
Agência mundial antidoping pede exclusão da Rússia da Rio 2016

Em um comunicado divulgado pelo Kremlin, Putin criticou a politização do esporte, dizendo que “o movimento olímpico passou por uma séria crise e acabou dividida. Mais tarde, alguns políticos de ambos os lados admitiram que isso foi um erro. Agora, nós vivemos uma revisão dessa interferência dos políticos no esporte. Sim, a forma desta interferência mudou, mas a essência é a mesma: transformar o esporte em um instrumento de pressão geopolítica e para formar uma imagem negativa dos países e pessoas”.

Além disso, o presidente russo afirmou que o relatório da Wada não é garantido, pois o informe foi baseado na declaração de apenas uma pessoa, que é o ex-diretor de laboratório de antidoping na Rússia, Grigory Rodchenkov. “As acusações foram baseadas no testemunho de somente um ex-agente escandaloso”, completou Putin, que ainda solicitou à comissão “informações mais completas e objetivas” com relação às acusações, para que a Rússia tome as medidas necessárias com os responsáveis.

Porém, o informe da Wada notificou que a responsabilidade da operação foi do próprio governo russo. Diante disso, o órgão recomendou que o Comitê Olímpico Internacional puna o país, excluindo a delegação russa de todas as competições dos Jogos Rio 2016.