Prass rebate repórter que disse que ele está em fim de carreira: “Tenho muita lenha para queimar”

Crédito da foto: Reprodução/Site da CBF

A Seleção Olímpica de Futebol se apresentou nesta segunda-feira (18) para iniciar os preparativos para a disputa da inédita medalha de ouro no Rio 2016. Fernando Prass foi o escolhido para conversar com os jornalistas e não gostou de ouvir que está em reta final de carreira.

LEIA MAIS:
BAUZA ELOGIA EMPENHO DO TIME CONTRA O CORINTHIANS E COBRA REFORÇOS DA DIREÇÃO DO SÃO PAULO
DANILO DESCARTA SE APOSENTAR NO FIM DO ANO: “SE NÃO FOR AQUI, JOGO EM OUTRO CLUBE”
“UM PONTO NÃO É EXCELENTE, MAS PODE NOS AJUDAR”, DIZ GUILHERME APÓS EMPATE DO TIMÃO CONTRA O SÃO PAULO

O goleiro do Palmeiras garante que ainda não pensa na aposentadoria e que planeja defender pela Seleção enquanto estiver atuando debaixo das traves. “Discordo do final. Não estou no final (da minha carreira), ainda tenho muita lenha pra queimar. Comparo a um casal que tenta ter filhos desde cedo e não consegue. Depois desencana daquilo e acaba conseguindo, traz muito mais felicidade. Até por ser uma coisa pensada por muito tempo, gera expectativa muito grande, quanto maior o tempo, maior a felicidade. Se jogasse até os 44 anos, sempre sonharia com a Seleção”, disse.

Apesar da idade avançada dificultar a disputa com os mais novos, Fernando Prass vê que pode trazer a experiência para o grupo. “Quanto mais o tempo passa, não posso ser hipócrita, mais difícil fica ser convocado, mas também agregamos algumas coisas que colaboraram para eu estar aqui. É uma chance maravilhosa, incomum. Copa do Mundo já teve duas no Brasil, Olimpíada nunca teve, título que o Brasil não tem. Não encaro como pressão, e sim grande oportunidade pelo grupo que se montou, de muita qualidade”, destacou.

Assista ao trecho:



Jornalista com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação, Dialoog Comunicação e Comunicale.