Opinião: o Palmeiras não tem elenco?

Palmeiras
Foto: Cesar Greco / Palmeiras / Divulgação

O Palmeiras enfrentou o Santos no encerramento da 14ª rodada do Brasileirão, no Allianz Parque. Com três desfalques por suspensão e Moisés lesionado (começou jogando, mas foi substituído logo aos 12′ do 1º tempo), apenas empatou por 1-1 com o Peixe e deu adeus aos 100% de aproveitamento em casa. Daí surge a pergunta: o Verdão não tem elenco para as 38 rodadas?

LEIA MAIS
Palmeiras 1 x 1 Santos: veja os gols do jogo
Clássico faz Palmeiras bater recorde de público no Allianz Parque

Está para ser criada balela pior do que essa. Chega a ser irritante de tão contraditória essa ideia de que o Palmeiras não tem jogadores de qualidade suficiente em seu plantel para aguentar as 38 rodadas do nacional. A mesma boca que fala sobre o alto número de contratações alviverdes é a mesma que insiste na falácia que o técnico Cuca não dispõe de qualidade no banco de reservas.

Fala muito essa boca. E, por falar em “fala muito”, o Tite assistiu ao clássico no Allianz Parque. Mas isso fica pra depois.

Gabriel Jesus, suspenso, deu lugar a Lucas Barrios – titular da seleção paraguaia quando contratado, com extenso currículo na Europa. Róger Guedes, suspenso, deu lugar a Erik – atacante revelação do Brasileirão 2015, cobiçado por vários clubes no Brasil e na Europa.

Thiago Santos, suspenso, deu lugar a Matheus Sales – cria da base alviverde, aquele mesmo que colocou Lucas Lima “no bolso” na final da Copa do Brasil 2015. Moisés foi substituído aos 12′ do 1º tempo, dando lugar a Arouca – titular do Santos quando contratado, com certeza titular em quase todos os 20 times da Série A.

Vale ressaltar ainda que o Tchê Tchê estava “meia-bomba”, o próprio Arouca voltava de cirurgia no joelho, sem ritmo de jogo. Edu Dracena – que vinha sendo titular – substituiu Mina por lesão. E o Palmeiras tem ainda jogadores como Rafael Marques (procurado por vários clubes), Cleiton Xavier (decisivo), Egídio (bi-campeão brasileiro), entre outros no banco de reservas.

Agora fica a pergunta: qual time da Série A possui um time principal tão forte, uma campanha tão boa em casa, reservas de alto nível e que lidera a competição desde a 9ª rodada?

Tirando o último item, talvez apenas o Corinthians e o Atlético-MG. O primeiro possui uma base e um esquema de jogo muito fortes, desde a “era Tite”, enquanto o segundo tem muitas opções interessantes no time principal e no banco entre os suplentes.

Mas é só.

Palmeiras x Santos

Empatar um clássico é normal, mas muitos críticos de plantão farão questão de dizer que o Palmeiras teve seu elenco testado contra o Santos e não conseguiu vencer. Mas será que essa é o único ponto de vista a ser observado?

Por que não pensar ao contrário? Afinal, o Santos – com todos os seus titulares jogando há quatro jogos, bem entrosados – não conseguiu vencer um Palmeiras todo modificado. Ahhh, mudou, né?

E por que não analisar também o jogo em si? O Palmeiras não só segurou o Santos com a força de seu elenco, como também poderia ter vencido se, 1) não tivesse dado azar no gol do Peixe e, 2) o árbitro tivesse assinalado penalidade máxima de Zeca, quando o lateral meteu a mão na bola.

“Ah, mas não foi intencional”. Não, não foi. Mas a mão de Barrios no meio-campo também não foi e o juiz deu falta. Então será que falta dentro da área é diferente? Não deveria ser.

Em suma, o Palmeiras tem elenco SIM. Vai ser campeão brasileiro? Não faço a menor ideia. Mas os críticos precisam parar com essa falácia de que o Verdão não vai chegar, de que o elenco é fraco, que isso e aquilo. Custa aceitar que Cuca e seus comandados lideram o campeonato com louvor? Que Alexandre Mattos acertou a mão? Que Paulo Nobre está fazendo história na presidência do Verdão?

Que venha o Internacional.

Foto: César Greco / Palmeiras / Divulgação