O imprevisível final de semana de corridas da Stock Car em Cascavel

Divulgação /Stock Car

Neste domingo (17) aconteceu a sexta etapa do campeonato brasileiro e sul-americano de Stock Car. Foram muitas emoções, então, vamos falar primeiro da corrida 1.

Foi dado início com duas voltas de apresentação para aquecer os pneus. A largada não foi nada fácil. Julio Campos deu uma bela de uma escapada e destruiu ao menos duas placas de publicidade da pista. E esse não foi o único erro. Também na largada, Denis Navarro deu um toque em Gabriel Casagrande que rodou e atravessou a pista, atrasando a vida de quem vinha atrás deles, porém sem causar mais estragos.

Navarro foi penalizado pela direção de prova com um drive through devido a esse toque. Já o carro de Rubens Barrichello entrou no modo de segurança (quando o carro aquece e de forma automática desliga). Foi necessário uma relargada. Na volta de número 6, o líder do campeonato Felipe Fraga, que teria de escalar o pelotão para tentar pontuar, já tinha ultrapassado 10 carros, em um bom desempenho que só melhorou até o final da corrida. Cascavel é uma pista que exige muito dos carros e pilotos, e já na volta de número 8 a equipe C2 Team havia recolhido seus dois carros ao box para tentar um conserto e voltar na segunda corrida do dia.

Na volta 17 a corrida ficou ainda mais emocionante. A disputa entre Marcos Gomes e Cacá Bueno começava. Já na volta 25, Marquinhos tomou a ponta mas, depois de duas voltas, Cacá força ultrapassagem, no limite da pista, chega a ficar porta com porta os carros 0 e  80, e quem leva a melhor é Cacá Bueno, o auge da corrida 1.

Mas para os apaixonados pelo esporte que adoram essas disputas a alegria durou pouco. Com um furo no pneu e a quebra da suspensão dianteira direita, Marcos Gomes vai para o box de sua equipe, retornando à pista somente na volta 41, praticamente no final da corrida.

Cacá vence quase que de ponta a ponta, ele que nunca havia vencido em Cascavel. O pódio ficou assim: 1º Cacá Bueno, 2º Ricardo Zonta e 3º Diego Nunes. Destaque para o líder do campeonato Felipe Fraga ganhou 19 posições durante a corrida.

Corrida 2:

A largada da segunda corrida ficou com Daniel Serra na ponta, Sergio Gimenez na segunda posição e Fraga na terceira, cenário esse que mudou e muito. Nas voltas 1 e 2 muitos pilotos entraram para o box, mas na pista a corrida continuava com problemas para alguns pilotos. Galid sofreu um furo de pneu; em seguida, Bia Figueredo, Felipe Guimarães e Átila Abreu se envolveram em um acidente.

Lá na frente a ponta já era de Thiago Camilo, seguido de Allam Khodair e Rubens Barrichello – corrida muito melhor para a dupla da equipe Full Time Sports, que havia terminado a corrida 1 com Rubens em 17º e Khodair em 18º.

Um susto para Gabriel Casagrande na volta de número 15: seu carro perde o capô e também a estabilidade, forçando o piloto da C2 Team a abandonar a corrida mais uma vez. Na volta 25, eis que começa a corrida interna entre os pilotos da Full Time, pois Khodair ultrapassa Rubinho. Com um trânsito intenso, Rubens toca no carro 80 de Marcos que perde o controle e roda.

Faltando uma volta para acabar a corrida, Thiago Camilo tem problemas no carro e para. O lugar mais alto do pódio cai no colo de Allam, a corrida estava ganha para o “Japa Voador”, mas… na reta de largada o combustível acaba e, em cima da linha de chegada, é ultrapassado por Barrichello, que ganha com uma vantagem de 61 milésimos. O pódio ficou assim: 1º Rubens Barrichello, 2º Allam Khodair e 3º Julio Campos.

O campeonato agora entra em recesso e volta somente no dia 11 de setembro com a Corrida do Milhão em Interlagos.