Marcos Assunção classifica Valdivia como craque, mas cutuca: “só joga quando quer”

Palmeiras
Divulgação/Ag. Palmeiras

A saída de Marcos Assunção do Palmeiras, em 2012, ficou marcada por uma briga entre o volante e Valdivia. No ano passado, em entrevista, o exímio cobrador de faltas revelou que chegou a dar um soco no chileno durante discussão de vestiário. O assunto voltou a ser destaque em conversa do já aposentado Assunção ao jornal “O Estado de S. Paulo”.

LEIA TAMBÉM:
Palmeiras ou Santos? Em entrevista, Marcos Assunção revela qual é seu clube do coração

Questionado se fez inimigos no futebol, em 22 anos de carreira, Assunção respondeu que não. Nem mesmo Valdivia, a quem considera craque, porém… “É normal as pessoas terem pensamentos diferentes, mas já é passado. Eu torço para que ele (Valdivia) consiga exercer a profissão e não se machuque. Ele é craque e um dos melhores com quem joguei, mas ele só joga quando quer e muitas vezes ele não queria”, soltou o volante.

O desentendimento entre Marcos Assunção e Valdivia aconteceu em novembro de 2012, antes do empate fora de casa com o Flamengo que rebaixou o Palmeiras à Série B do Campeonato Brasileiro. O volante contou mais detalhes sobre a briga.

“Ele falou um monte de bobagem em um momento de tristeza minha. Eu estava com o joelho ruim, tomando infiltração e ele falou que eu estava fazendo isso para aparecer na imprensa e para a torcida. Foi um momento infeliz dele e meu. Não é bom ter essa imagem, pois somos pai de família e quero ser exemplo para o meu filho”, relembrou Assunção, que agora pretende estudar para se tornar dirigente.



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.