Livro “2016 histórias que fizeram 120 anos de Olimpíadas” é lançado em São Paulo

Foto: Reprodução

Os jornalistas Adalberto Leister Filho e Guilherme Costa lançam nesta quinta-feira (dia 14), em São Paulo, o livro “2016 histórias que fizeram 120 anos de Olimpíadas” (editora Xamã).

LEIA MAIS:
Confira a programação esportiva do Rio-2016 
Emocionante! Casagrande revela o que faltou na amizade com Sócrates 

“Buscamos um livro não só para os fanáticos por Olimpíada, como para aqueles que também querem aprender, que não são tão ligados ao esporte. A parte de regras traz muitas curiosidades, como por exemplo o número de penas de ganso de uma peteca de badminton, a origem do nome de algumas provas como keirin e carabina três posições”, conta Guilherme, que é blogueiro do site Globoesporte.com.

A obra é dividida em três capítulos (Regras, Histórias e Heróis) e tenta abarcar toda a história dos Jogos Olímpicos, que neste ano celebram 120 anos com os Jogos do Rio de Janeiro. Cada parte conta com 672 histórias, totalizando 2016 textos.

“Encontrei quase por acaso o Guilherme em uma pauta. Foi quando, quase na saída, ele me falou da vontade de fazer o livro e me propôs a parceria. Um amigo dele já tinha inventado o título: 2016 histórias. Achei que daria um formato bacana, porque as Olimpíadas são um evento tão multifacetado que esses textos poderiam abarcar muita coisa”, conta Adalberto, diretor de conteúdo do site Máquina do Esporte, parceiro do UOL.

Em regras, o leitor ficará sabendo curiosidades sobre todas as modalidades olímpicas. Você vai saber porque a peteca do badminton só leva penas retiradas do lado esquerdo do ganso. Porque as provas de revezamento do atletismo têm uso de bastões? Por que os jogadores de vôlei de praia usam óculos de sol mesmo em partidas noturnas?

Histórias conta fatos menos conhecidos que marcaram os Jogos Olímpicos. Como a competição já foi uma atração secundária de eventos na época maiores. O papel da TV no crescimento e fortalecimento do megaevento. A importância dos patrocinadores. A mancha do doping. Os desafios dos Jogos atuais.

Finalmente, heróis relata histórias ligadas aos principais ídolos da história olímpica. Afinal, Hitler se recusou mesmo a cumprimentar Jesse Owens por suas vitórias? Qual foi o único atleta a se recusar a convocação olímpica por causa do racismo nos EUA? Qual era a diferença de altura entre o brasileiro Ricardo Prado e o canadense Alex Baumann, rivais na natação em Los Angeles-1984?

“No início, achei que seria difícil encontrar 2016 temas para escrever, mas o universo olímpico é tão grande e interessante, que conseguiríamos fazer outros 2016 textos”, acredita Guilherme.

A parceria entre os autores foi iniciada na TV Record, época em que ambos criaram diversos guias de coberturas para os eventos esportivos transmitidos pela emissora, como os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara e a Olimpíada de Londres.

“Essa parceria gerou uns dez guias. Só para Londres foram três. Mas agora é diferente e especial: esse novo livro irá circular para um público mais amplo. Os guias da Record eram restritos aos profissionais da emissora”, comenta Adalberto.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução


Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)