Gabigol está “feliz” por ter a chande de reeditar dupla com Neymar na Seleção Olímpica

Crédito da foto: Reprodução/Canal da CBF no Youtube

Gabigol é mais uma grata revelação da base do Santos que trouxe Robinho, Diego e Neymar ao mundo da bola. Aos 19 anos, o jovem atacante já convive com o assédio do futebol europeu, acumula passagens pela base e time principal da Seleção Brasileira e tem a missão de ajudar o Brasil na busca pela medalha de ouro inédita nos Jogos Olímpicos. A parceria com o amigo Neymar é um grande ponto positivo para trazer a conquista para o jogador.

LEIA MAIS:
BAUZA ELOGIA EMPENHO DO TIME CONTRA O CORINTHIANS E COBRA REFORÇOS DA DIREÇÃO DO SÃO PAULO
DANILO DESCARTA SE APOSENTAR NO FIM DO ANO: “SE NÃO FOR AQUI, JOGO EM OUTRO CLUBE”
“UM PONTO NÃO É EXCELENTE, MAS PODE NOS AJUDAR”, DIZ GUILHERME APÓS EMPATE DO TIMÃO CONTRA O SÃO PAULO

Em entrevista ao site da CBF, Gabriel diz que conta os dias para a estreia no rio 2016 e que parceria com o amigo Neymar pode ser um diferencial.

– Estou muito feliz e ansioso pela Olimpíada. Vai ser um marco muito grande se a gente ganhar. É um título que ninguém conquistou. A gente tem que ter muita calma, trabalhar bastante, e se ganhar, vai ser um sonho realizado. Estou contente de reencontrar o Neymar agora na Seleção, poder jogar um pouco mais do lado dele, pois foi muito rápida a nossa dupla no Santos. Estou muito feliz com essa oportunidade, não só por jogar com ele, mas por todos os jogadores e espero que a gente possa ajudar a Seleção Brasileira a levar esse título.

Para a Seleção Brasileira chegar a inédita medalha olímpica, Gabigol diz que o Brasil precisa voltar a jogar seu futebol de toque de bola, bons dribles, velocidade e pede apoio da torcida.

– Espero que eles (torcedores) nos apoiem e estejam com a gente. Vai ser muito complicado. É um campeonato difícil, mas a gente está em casa e tem de fazer isso valer a pena. Temos que jogar pra frente, jogar para cima, com muita alegria e com o apoio deles. É o sonho de todo jogador brasileiro vestir essa camisa, ainda mais disputar um título que ninguém ganhou, e se a gente ganhar vou ficar muito contente.

Questionado se existe alguma preferência por posicionamento em campo, o atacante do Santos diz que já atuou em várias posições e se coloca à disposição de Micale.

– No Santos eu já joguei de meia, atacante, centroavante… Então, não tem problema algum jogar em outro lugar. Ele (Micale) sabe muito bem disso. Já me usou em várias posições na Seleção e acho que o nosso grupo é muito bom, tem grandes jogadores e a gente vai fazer um grande campeonato.

Assista a entrevista completa abaixo:



Jornalista com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação, Dialoog Comunicação e Comunicale.