Cuca cutuca o rival Corinthians em coletiva de Imprensa após o clássico

Palmeiras
Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

O técnico alviverde ao término da partida, do clássico paulista entre Palmeiras e Santos, que teve como resultado o empate por 1 a 1, no estádio Allianz Parque, falou sobre as nuances do jogo e as consequências do ‘Brasileirão’ que a cada dia está mais acirrado. A briga dos clubes paulistas, em especial, na dianteira da competição nacional, entre o Palmeiras (atual líder), o vice Corinthians, Santos na 4ª posição, atrás do Grêmio, dão todo um enredo de emoção e equilíbrio, o que se prevê até o fim da competição. A diferença do 1º para o 3º é de apenas 2 pontos.

Um assunto que gerou certo incômodo por parte do treinador palmeirense, foi quando a pauta “Olimpíadas” veio à tona e as possíveis perdas. Na ocasião, Cuca ressaltou os respectivos times que haviam jogado recentemente. Com a competição Olímpica ‘batendo a porta’, Palmeiras e Santos perderão alguns atletas para o decorrer da competição.

Nomes, como os santistas: Thiago Maia, Zeca, Gabigol. Para o lado alviverde: o goleiro Fernando Prass, o zagueiro colombiano Mina que sofreu uma lesão durante a partida e virou dúvida para os jogos e o atacante Gabriel Jesus. A irritação de Cuca era visível, perder atletas importantes, em um momento tão delicado e disputado na competição. Em tom de ironia e chateação, o técnico alviverde, afirmou: “Tem time que não vai perder ninguém, time que briga pelo o título”.

Com o empate da ultima terça feira, o Palmeiras viu a aproximação dos rivais Corinthians e o Grêmio, além da entrada do Santos ao G4. O temor cresce a cada dia pelo os possíveis desfalques, posteriormente, serão sentidos de forma bastante significativa, pressupõe-se.

Um exemplo, o Atlético mineiro, um dos candidatos ao título, vem sofrendo muito com contusões. Jogadores abarrotados no DM (Departamento Médico) refletem o momento de inconstância do clube mineiro, que conta com estrelas do quilate de Fred, Robinho, Pratto, Dátolo e recentemente, o afastamento do grande destaque, o equatoriano Cazares, que sofreu uma lesão e ficará fora dos gramados, de 3 a 4 meses.

A ‘bruxa está solta’, quem conseguir manter um plantel qualitativo e quantitativo, supostamente, poderá ter o fator sorte como trunfo e um grande passo para o título nacional.