Confira os destaques positivos e negativos da final da Liga Mundial de Vôlei

Foto: Reprodução FIVB

A seleção brasileira masculina de vôlei foi derrotada pela Sérvia por 3 sets a 0, neste domingo, na final da Liga Mundial, em Cracóvia, na Polônia. Melhor na fase de classificação, a equipe de Bernardinho voltou a mostrar um bom voleibol, mas, a equipe adversária com melhor aproveitamento no jogo final, levou o título, e o Brasil ficou mais uma vez semo torneio.

LEIA MAIS:

Sérvia vence Liga Mundial pela primeira vez e Brasil segue na fila

Após a derrota algumas análises em relação a participação do time brasileiro no torneio merecem ser realizadas, assim como  as outras seleções que estarão presentes no Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, no próximo mês.

Confira os destaque positivos da Liga Mundial:

Sérvia: seleção que apresentou  novos jogadores para o cenário do vôlei mundial como o levantador Jovovic. O time europeu ainda se deu ao luxo de não contar com o oposto titular Atanasievic, e com um bom rendimento no saque com Lisinac e Ivovic conseguiram conquistar o título inédito. A grande decepção fica com a ausência da equipe nos Jogos Olímpicos, do Rio de Janeiro.

Wallace: de volta a sua melhor forma física, foi o melhor jogador do Brasil na final diante da Sérvia, com méritos foi eleito o melhor oposto da Liga Mundial. Essa conquista é muito importante para o jogador que sofreu com uma série de lesões na temporada passada e está muito bem para o Rio-2016.

Desafio: finalmente o desafio no vôlei começou a fazer sucesso, responsável por pontos em fases decisivas das partidas, a tecnologia ajudou muito mais que atrapalhou. Com exceção do fato dos treinadores utilizarem como forma para parar a partida, em algumas situações os pedidos foram respondidos rapidamente.

Maurício Souza: uma das novidades da seleção brasileira em 2016, o central praticamente confirmou sua convocação para o Rio-2016. Escolhido para a seleção da Liga Mundial, o jogador está numa crescente desde as finais da Superliga Masculina de Vôlei.

Confira os destaques negativos da Liga Mundial:

Rússia: sexta colocada na classificação geral do torneio, a seleção russa tem um grande desafio para o Rio-2016. Sem  a presença de peças importantes no elenco, principalmente em relação ao último campeonato olímpico.

Recepção do Brasil: as duas derrotas do Brasil para a Sérvia na Liga Mundial têm fatores idênticos, a recepção brasileira. Muito com méritos do time adversário e pela instabilidade na receção do Brasil. O técnico Bernardinho ainda não definiu o parceiro de Lucarelli. Murilo seria a primeira opção, mas as lesões atrapalham, Lipe a mesma coisa, que atuou em todas as partidas da final Maurício Borges parece instável para a titularidade.

Lesões: um dos fatores que mais tem prejudicado a seleção brasileira durante o ciclo olímpico, com exceção do Mundial de 2014, o grupo de jogadores parecem chegar longe do ideal físico na seleção, ou sequência de jogos está sendo acima da carga para os atletas, que diria Murilo e Lipe.

Público: a presença do público na arena em Cracóvia foi fraca para as finais da Liga Mundial. A Polônia tem o vôlei como seu principal esporte, e nem mesmo a presença da seleção local nas partidas o local da final teve um grande público. Uma pena.

Foto: Reprodução FIVB