Veja as 10 melhores frases de Falcão em sua volta ao Inter

Inter
Twitter/Inter

Paulo Roberto Falcão é o novo treinador do Internacional. Elegante e ponderado como sempre, o técnico foi oficialmente apresentado na tarde desta quarta-feira, 13, e concedeu sua primeira coletiva de imprensa. É a terceira passagem do eterno ídolo colorado como técnico da equipe – as outras duas foram em 1993 e 2011. 

LEIA MAIS:

De olho no Palmeiras, interino colorado mexe no time; veja a escalação

Presidente do Grêmio explica por que não demitiu Roger no 1° semestre

Novo reforço do Inter comete erro bizarro no seu primeiro toque na bola; veja

Em uma coletiva de imprensa de aproximadamente meia hora, Falcão respondeu diversas perguntas sobre as suas outras passagens, o momento atual do clube e o contrato assinado até julho de 2017, mesmo com as eleições presidenciais previstas para dezembro. Veja abaixo um resumo das principais declarações do novo técnico do Inter:

Rendimento do grupo:

“Esse grupo pode dar mais”

Trabalho do Argel:

“Argel certamente deixou coisa boas e vamos tentar aproveitar. Não dá para mudar tudo, pois não significa que tudo que estava sendo feito estava errado”.

Eleições presidenciais em dezembro:

“A eleição não mudará minha maneira de trabalhar. A instituição está acima de nomes. O patrimônio do clube é o respeito à instituição. Eu vivo daqui para frente, o que passou, passou. Olhando para trás a gente nunca encontra ninguém”.

Análise do elenco:

“O Inter tem um grupo jovem, com outros atletas experientes. É esta mescla que fortalece a equipe”.

Modificações:

“A grande modificação que podemos ter nesse início é ter o torcedor do lado. Um time novo requer muito carinho e o torcedor precisa entender esse momento”.

Estilo de jogo:

“Eu gosto de um time que jogue bola. Um goleiro que jogue com os pés, um time que sai jogando. O chutão é uma ilusão de 10 segundos, porque a bola volta. Para você mudar isso você precisa ter aproximação e gente para jogar”.

Jogo de domingo contra o Palmeiras:

“O mais importante desse domingo contra o Palmeiras é ganhar o jogo. Se pudermos fazer um bom jogo, melhor. O meu desafio como treinador é construir um time ganhe, mas que com o tempo ganhe porque jogou bem”.

Passagens em 1993 e 2011:

“É difícil fazer comparações com as outras passagens. Eu quero viver esse momento de retorno ao Inter e colocar o Inter onde merece”.

História no clube:

“Não acho que essa será a minha participação derradeira dentro do clube”,

Carinho pelo Inter:

“Tenho muito orgulho em carregar o nome do Inter durante a minha vida. Estou muito feliz em voltar”.

 



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.