Cicinho: ‘Não consigo sentar e tomar um ou dois copos, tomo até cair’

Crédito de imagem: Reprodução

Campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes pelo São Paulo em 2005, o lateral-direito Cicinho participou do programa A Bola da Vez, que irá ao ar nesta terça-feira na ESPN, às 19h30.

LEIA MAIS:
EM ENTREVISTA, CICINHO DIZ SONHAR EM VOLTAR AO SÃO PAULO E APOSTA NA VITÓRIA DO TRICOLOR

Na entrevista, o jogador fala abertamente sobre o problema com a bebida e o cigarro. “Abri o jogo para os psicólogos no São Paulo. Eu sou um cara que não consigo sentar e tomar um ou dois copos, eu tenho que tomar até eu cair”, revela Cicinho, que também jogou por Real Madrid, Roma e Atlético-MG, além da Seleção Brasileira.

O alerta, no entanto, foi duro. “Me falaram, se você continuar nessa vida aí, você vai morrer, cara. E eu tive um encontro desse com Jesus, depois de ter tomado 14 caipirinhas e mais de 18 long necks”, afirma.

Cicinho vai além, diz que fez seguros de vida em nome de seus parentes durante o vício. “Eu já tinha dez seguros de vida em nome dos meus familiares, eles viam que eu estava indo para o fundo do poço mesmo”, completa. Segundo ele, o problema se agravava com a queda de rendimento em campo. “Conforme eu fazia menos sucesso, mais eu bebia”

Além da bebida, Cicinho teve problemas com o fumo, que o prejudicava durante as partidas. “Eu fumava dois maços de cigarro, como é que eu ia correr 90 minutos?”, finaliza.