À venda? Chefão do Audax afirma desejo em comprar Oeste

Rafael Hirose/Osasco Audax
Rafael Hirose/Osasco Audax

A parceria firmada entre Audax e Oeste deve ganhar uma nova relação no futuro. O principal investidor do time de Osasco, Mário Teixeira, manifestou interesse na compra da equipe de Itápolis, segundo informação da Folha de São Paulo.

LEIA MAIS

Mercado da bola: Dudu e/ou Barrios podem deixar Palmeiras, diz repórter da Globo

Torcedor pode determinar quanto seu clube receberá da Globo, diz blog

De acordo com o jornal, Teixeira já está em tratativas para investir no time do interior paulista, que atualmente se dedica à disputa do Campeonato Brasileiro da Série B.

“A intenção sempre foi essa (de investir no Oeste). Só se tiver uma decepção muito grande pela frente para que isso não aconteça, mas as negociações estão bem encaminhadas. Se subir, a chance é de 100%”, disse um funcionário do Audax, não identificado, à Folha.

Os dois times mantém uma parceria desde 2015, quando o Audax permitiu que o time de Itápolis jogasse a Série B dentro de Osasco e usasse as estruturas do time. Para este ano, após o Campeonato Paulista, a equipe osasquense cedeu o técnico Fernando Diniz e vários jogadores do elenco vice-campeão estadual para o Oeste.

“Isso (a compra) pode ser realidade no futuro. Agora, é só algo especulativo. Nossa preocupação é manter o time na Série B e conquistar o acesso, se for possível”, afirmou Nei Teixeira, diretor de futebol do time de Osasco e também do Oeste.

Um dos principais dirigentes do time de Itápolis, Aparecido Roberto, confessou que existem as conversas para que Mário Teixeira se torne investidor do time no futuro.

“Todo time procura um investidor. Achamos o seu Mário, que é um parceiro íntegro, honesto, cumpridor de seus deveres e muito bem-sucedido. Começamos há três anos com um flerte. Em 2015, começamos a namorar, mas não deu certo o casamento no final do ano. Espero que neste ano se concretize”, disse.

Torcedores do Oeste, no entanto, tem feito protestos contra a possível venda da equipe para o Audax e pelo fato do time não jogar no Estádio dos Amaros durante a Série B, atualmente se dividindo entre a Arena Barueri e o José Liberatti.

A justificativa do time para não mandar jogos em Itápolis é o fato do campo não ter laudos que o liberem para receber partidas de futebol da Série B. O Estádio dos Amaros precisaria de reformas para poder se adequar as normas.

 

 

 

(Crédito da foto: Rafael Hirose/Osasco Audax)