Adeus? Venezuela surpreende e complica o Uruguai

Reprodução/Facebook Conmebol

O Uruguai precisa de um imenso milagre para continuar vivo na Copa América Centenário. Isso porque, nesta quinta-feira, 9, os uruguaios foram derrotados de maneira surpreendente pela Venezuela por 1×0, na Filadélfia, e terminaram a segunda rodada do grupo zerados na pontuação, tendo que torcer para improvável vitória da Jamaica sobre o México para poder continuar sonhando com a classificação. Os venezuelanos, por sua vez, foram aos 6 pontos, e estão em situação bastante confortável na competição.

 

LEIA MAIS:
MORDIDO DE RAIVA? SUÁREZ SE IRRITA NO BANCO DE RESERVAS DO URUGUAI

A partida começou equilibrada, com a Venezuela tentando criar jogadas em arremates de longa distância de Peñarada. Os uruguaios responderam pelo lado esquerdo, quando Stuani deixou na medida para Cavani, que, de cara para o gol, acabou furando.

Melhorando com o passar do tempo, o Uruguai busca pressionar e desperdiçou ótima chance em cobrança de falta de Ramirez, que foi diretamente para a direção do gol sem tocar em ninguém pelo caminho, mas acabou carimbando a trave dos venezuelanos, que no lance seguinte abriram o placar.

Em escapada pela direita, Guerra, quase do meio campo, percebeu Muslera adiantado e tentou encobri-lo. O goleiro uruguaio conseguiu se recuperar e dar um tapinha. A bola explodiu no travessão, porém se ofereceu para o artilheiro Rondón apenas empurrar pro fundo das redes.

O gol sofrido fez o Uruguai desmoronar. Por muito pouco, ainda na primeira etapa, em ótima jogada individual, Guerra não conseguiu ampliar. Seu toque foi fraco e facilitou a defesa de Muslera, assegurando apenas a desvantagem de um tento para o intervalo.

Na segunda etapa, precisando empatar, a Celeste tentou encurralar os venezuelanos no campo de defesa, porém acabaram atacando de maneira desorganizada, errando passes simples e buscando apenas cruzamentos para dentro da área, onde estavam os atacantes uruguaios, que não conseguiam concluir levando perigo ao goleiro Dani Hernández.

Sabendo que o adversário se lançaria ao ataque, a Venezuela ficou à espera do contra-ataque e de qualquer chance para que pudesse matar de vez a partida. Ela apareceu aos 22 minutos, quando Peñarada invadiu a área com liberdade e, à queima-roupa, viu Muslera defender o chute.

A última chance da Celeste veio aos 44 minutos. Em boa troca de passes, Cavani recebeu completamente livre dentro da área, na marca do pênalti, deu de chapa na bola, buscando tirar do alcance de Dani Hernández, mas acabou mandando para fora e, praticamente, jogou para fora também as chances de classificação uruguaias na Copa América.

Lesionado, Luis Suárez, mais uma vez, não foi aproveitado pelo treinador uruguaio Óscar Tabarez. Mesmo aquecendo junto dos outros reservas, a principal estrela uruguaia acabou não entrando em campo e isso o irritou bastante, a ponto de reclamar com a comissão técnica e dar um murro no vidro do banco de reservas.

Na próxima rodada, o Uruguai enfrenta a Jamaica, às 23h, na segunda-feira, 13, em Santa Clara, Califórnia, em provável duelo apenas para cumprir tabela. A Venezuela, por sua vez, entra em campo mais cedo, às 21h, no mesmo dia, diante do México, no NGR Stadium.