Tinga admite que recebeu proposta do Inter: “Estava na minha mão”

Tinga
Tinga - Arquivo/Site Inter

O ex-volante Paulo César Tinga foi o convidado do programa Bola da Vez, da ESPN Brasil, nesta semana e, como um bom personagem que é, revelou ao público histórias interessantes e fatos até então pouco esclarecidos. Ele admitiu ter recebido uma proposta da atual diretoria colorada para participar da direção de futebol do clube em 2016, e explicou as razões de ter rejeitado a oferta.

LEIA MAIS:

Apresentado no Inter, Leandro Almeida esquece Palmeiras: “Já passou”

Tinga rasga elogios ao Grêmio de 2001: “Nunca vi 3-5-2 igual”

“Estava na minha mão essa questão de ir para o Inter ou não, mas eu decidi esperar. Já falei que tenho um sonho de ser presidente do Inter, mas isso com o tempo, por isso falo em 10 anos. Sempre quando se fala em termos de negócios, eu gosto de pensar a longo prazo”, falou Tinga.

“No fim não aceitei porque já estava no meio do caminho, com a temporada em andamento. E também estava no meio do projeto que lancei (o ByTinga, curso online para a formação de atletas). Penso que se é para pegar uma coisa, tem que ser no início de tudo. Se eu vou ser um dos diretores, eu não posso ser o último a chegar. eu que preciso montar quem serão os meus comandados”, explicou. Segundo ele, o contato teria sido feito depois do início das primeiras competições do ano.

Na entrevista, Tinga também ressaltou o fato de sempre ter sido colorado e que era um “sonho” para ele jogar no Inter. O desejo só se concretizou em 2005, quando acabou sendo contratado pelo então presidente Fernando Carvalho no início daquela temporada. Como um dos destaques do time, Tinga ajudou o Inter a brigar pelo título brasileiro, que não veio muito por causa do pênalti sofrido por ele próprio que Márcio Rezende de Freitas não marcou em um duelo contra o Corinthians. Sobre o árbitro, Tinga contou como foi o reencontro com ele.

Se em 2005 o Inter de Tinga terminou prejudicado, no ano seguinte as conquistas da Libertadores e do Mundial vieram para lavar a alma da torcida. O ex-volante ainda passou por clubes como Borussia Dortmund, da Alemanha, e Cruzeiro, onde encerrou sua carreira em 2015 após o bicampeonato brasileiro.



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.