Palmeiras x Corinthians: Ewerthon e Luizão elegem seus Dérbis inesquecíveis e palpitam sobre jogo

Reprodução

O fim da década de 1990 ficou marcado pela rivalidade do maior clássico do futebol paulista. Corinthians e Palmeiras fizeram partidas épicas pelo Paulistão e pela Libertadores da América. O Torcedores.com entrevistou dois atacantes que jogaram por ambas equipes e estiveram no Corinthians daquela época.

Éwerthon estava no começo de carreira em 1999 quando o Corinthians foi campeão paulista sobre o Palmeiras e viu, de dentro de campo, a guerra que se transformou a partida após as famosas embaixadinhas de Edílson. Tudo por causa da vitória do Palmeiras sobre o Timão na Libertadores, dias antes.

– Meu clássico inesquecível foi aquela final em 1999, pelas circunstancias do jogo, a eliminação na Libertadores, aí o jogo para acabar e o Edílson fez as embaixadinhas. Por fim, o Corinthians foi o campeão, conta Ewerthon.

Quem também fez parte dessa rivalidade foi Luizão. Contratado em 1999 pelo Corinthians, o atacante foi campeão do Brasileiro e artilheiro da Libertadores do ano seguinte. Apesar da eliminação, mais uma vez, para o rival, ele não esquece da partida.

– Por incrível que pareça meu jogo inesquecível foi o que eu perdi pelo Corinthians, na Libertadores de 2000, fiz dois gols, viramos a partida, mas acabamos eliminados, conta o hoje empresário.

Clássico deste domingo

Pela terceira vez os clubes se enfrentam no novo estádio do Palmeiras, o Allianz Parque, e isso pode fazer a diferença para Ewerthon. Enquanto Luizão prefere ficar no muro.

– Vejo um jogo equilibrado, o bom momento dos dois, mas a vantagem é do Palmeiras por jogar em casa, afirma Ewerthon.

– Não dá para arriscar e nem para saber, não tem favorito, diz Luizão.

Estilo dos técnicos

Tite já teve fama de ‘retranqueiro’, mas o futebol apresentado pelo Corinthians nos últimos anos desmentem essa afirmação. Trocas de passes, tabelas e infiltração são alguns dos termos mais usados para citar o técnico como o craque do Corinthians. Por outro lado, Cuca sempre foi conhecido por ter um estilo mais ousado, até com algumas substituições mirabolantes.

– Conheço mais o trabalho do Tite, mas são dois ótimos treinadores e os dois times estão em formação, mas as conquistas recentes do Corinthians credenciam o trabalho do Tite, diz Ewerthon, que aposta em Gabriel Jesus e Giovanni Augusto como destaques.

Para Luizão, no entanto, o estilo de jogo pouco importa se a vitória vier.

– Como um ex-atacante, gosto mais do estilo ofensivo, mas o melhor é o que ganha, né?, diz.