Argel revela por que o Internacional apostou em jogador contestado do Palmeiras

Palmeiras
Crédito da foto: DIvulgação/Ricardo Duarte/SC Internacional

Na última quarta-feira (8), o Internacional surpreendeu e anunciou a contratação do zagueiro Leandro Almeida, do Palmeiras. O jogador não atuava pelo clube paulista desde o dia 4 de fevereiro, quando o Verdão empatou com o São Bento, por 2 a 2, e o defensor falhou feio em um dos gols do adversário, mas foi elogiado por Argel Fucks, seu novo treinador no time colorado.

LEIA MAIS:

MERCADO DA BOLA: 17 SUL-AMERICANOS QUE FICAM SEM CONTRATO EM JUNHO DE 2016
ROSARIO TEM NOVA ESTRATÉGIA PARA COMPRAR 50% DE ALLIONE
MERCADO DA BOLA: EMPRESÁRIO DE TOBIO FALA SOBRE IDA AO FLAMENGO

“O Leandro Almeida é um jogador experiente, tem 29 anos e, para o Palmeiras pagar R$ 3 milhões por ele, deve ter alguma qualidade”, disse Argel em entrevista coletiva nesta sexta-feira (10).

“Às vezes, o jogador, por algum detalhe, não se encaixa no clube. Isso já aconteceu comigo durante minha carreira. É um jogador experiente que chegará para brigar pela titularidade com os outros zagueiros do clube”, completou o técnico do Inter.

No Inter, Almeida disputará posição com os titulares do miolo de zaga Paulão e Ernando, e ainda terá Alan Costa no setor. Antes de liberar Réver, o clube gaúcho já havia negociado Jackson, também ex-Palmeiras, com o Bahia, que em 2016 disputa a Série B do Brasileirão.

Atualmente, Leandro Almeida vinha treinado em separado no grupo principal do Palmeiras. No início dessa temporada, ele chegou a receber oportunidades do então técnico Marcelo Oliveira, mas constantes falhas prejudicaram sua passagem no clube.

“A negociação foi muito rápida, até ontem eu não estava sabendo. Até porque, deixo tudo na mão do meu empresário. Hoje cedo ele falou que tava tudo certo e eu tinha só uma hora para me arrumar e viajar”, explicou Leandro Almeida sobre a transferência ao time de Porto Alegre.

O jogador ficará no Sul até o fim do Brasileirão, mas o Inter tem prioridade de compra de seus direitos federativos, por preço não divulgado, ao final do empréstimo.