Gestão de Roberto Dinamite no Vasco tem ação trabalhista movida pelo filho do dirigente

Reprodução/Instagram

Rodrigo Dinamite jogou pelo Vasco de 2010 a 2014. O ex-atacante cobra salários atrasados de outubro, novembro e dezembro de 2014 somados a verbas trabalhistas e indenização por danos morais e materiais que geram em torno de R$ 20 mil a serem pagos pelo clube Vasco da Gama.

LEIA MAIS: ROBERTO DINAMITE DÁ DICAS PARA EDMUNDO SER PRESIDENTE DO VASCO

Filho do ex-presidente Roberto Dinamite, entrou com ação trabalhista contra o clube pedindo valores pendentes quando o Vasco ainda era comandado por seu pai.

O primeiro contrato de Rodrigo com o Vasco foi em fevereiro de 2010 válido por três anos. No final do mandato de seu pai, assinou novo acordo até dezembro de 2014 com novo salário que aumentaria para R$ 5 mil, no caso a gestão do término do acordo já seria de Eurico Miranda, desafeto declarado de Roberto Dinamite.

O vice-presidente jurídico do Vasco Paulo Reis, falou ao site Globoesporte.com a respeito da situação:

“Temos a ação desse menino, mas a decisão foi adiada. Ele entrou alegando a dívida, vamos avaliar e apresentar nossa defesa. Se realmente houver, vamos pagar. É tudo ainda da gestão do pai dele.” Informou Reis.

O jogador que está com 23 anos, alega não ter recebido férias, 13º terceiro salário e outros valores durante o período em que defendeu o Vasco nas categorias de base em um total de cinco anos.

A ação do atleta não poupa Roberto Dinamite, alegando que os salários chegavam sempre com dois ou três meses de atraso o que deixava “o atleta angustiado, constrangido e humilhado” conforme consta no processo de Rodrigo, o que o fez pedir indenização por danos morais.