Especial dia dos namorados: o casal ‘Choque-rei’ do companheirismo

Fernanda e Thiago choque-rei dia dos namorados
Acervo Pessoal

 

Thiago de Almeida e Fernanda Fellas, ambos com 27 anos ele palmeirense e ela são-paulina, o casal que protagoniza o clássico Choque-Rei, no Especial Dia dos Namorados, do Torcedores.com  são namorados há três anos e meio.

Leia mais:

VEJA O QUE OS JOGADORES DO SÃO PAULO DISSERAM APÓS A VITÓRIA NO CHOQUE-REI

VÍDEO: ASSISTA AOS BASTIDORES DO SÃO PAULO NO CHOQUE-REI

Thiago, palmeirense fanático ainda não sabe, mas vai ganhar de presente de Dia dos Namorados, ingresso para o clássico de domingo entre Palmeiras x Corinthians. O Dérby será torcida única e acontecerá no Allianz Parque.

Durante a conversa ela já havia contado que todos os presentes do casal são relacionados a times, ele acabou confirmando: “Assim não tem erro na hora de escolher o presente. Tudo que é do Palmeiras eu aceito e nunca é de mais. Sou péssimo em dar presentes surpresas, quando tento nunca me saio bem, ela sabe juntar o útil ao agradável. Sempre consegue envolver o Palmeiras e ainda assim me surpreender.”, disse Thiago.

Fernanda e Thiago choque-rei dia dos namorados
Acervo pessoal

Se acham que como não são casados, depois do jogo cada um volta pra sua casa, nada disso, eles passam o final de semana todo juntos, “Quando cai no final de semana, cada um tem que engolir”, diz Fernanda.  Segundo ele, só o humor muda um pouco. Thiago ainda confessa que fica bravo quando perde e não quer puxar papo ela diz que se segura pra não zoar, mas não consegue. “Sempre brinco, mas também  sou zoada se o São Paulo perde….Acho que se comparar, eu pego mais pesado. Né, vida?”, diz ela.

Nas estatísticas de Palmeiras x São Paulo, o tricolor tem mais vantagem e parece que aqui não é diferente, ela corneta mais do que ele. “Sempre apostamos quem acerta o resultado, mas depois a zoeira toma conta e acabamos não cobrando a aposta.”, diz Fernanda.

Eles também costumam ir juntos ao estádio, mas no camarote, para ninguém ter que encarar a torcida de ninguém. “Fomos uma vez em um São Paulo e Palmeiras, no camarote pra podermos ir juntos. Eu moro bem perto do Morumbi, mas em clássico, temos um pouco de medo. Ele já foi comigo na volta do Kaká e na despedida do Rogerio Ceni, esse último foi presente, surpresa dele. Eu também já fui ao Palestra com ele, mas fui pé frio, graças a Deus”, conta Fernanda, rindo.

Como se não bastasse dizer que ele dorme com o cobertor do São Paulo que ele mesmo deu de presente a ela, Fernanda ainda conta da vergonha que o fez passar em uma viagem do casal, “Quando visitamos Buenos Aires, ele foi ao tour do estádio do Boca com a camisa do Palmeiras. Aí alguns argentinos reconheceram a camisa, e então, para provocar teve um que cantou o hino do SP, eu logico continuei…nos abraçamos e mais zoeira veio( risos). A maioria dos argentinos pegaram no pé dele pela final da Libertadores de 2000, foi um deleite pra mim”, conta ela mais uma vez zoando o amado aos risos.

Fernanda ainda é destemida e ele conta que ela teve coragem de cantar o hino do São Paulo no meio de um tour no Allianz Parque, “Saímos dos vestiários, fomos ao gramado e a doida começou a cantar o hino do tricolor. Quase apanhou da galera”, conta Thiago. Ela retruca: “Ué, eles perguntaram se tinha gente que não era palmeirense, eu fui sincera”.

Mas ele não deixa por isso mesmo não, conta que ‘roubou’, os amigos da amada. “. Como sou único palmeirense da família e não tenho amigos palmeirenses, depois que conheci a Fernanda vi que todos seus amigos eram palestrinos e conquistei rapidamente a galera. Hoje sou muito mais amigos e fico junto com eles mais do que ela. Isso deve causar um pouco de ciúmes por parte dela (risos) temos grupo no ‘whats’ e é lá que criamos a zoeira que fazemos com ela”, conta ele.

Finalizando, Fernanda confessou que o mais gosta nele é justamente o fascínio que ele tem por futebol: “Ele sabe tudo de futebol, sabe dos times do mundo todo. Amo como nossas ideias batem, apesar de não torcermos pro mesmo time, sempre topamos ir juntos nessas aventuras futebolísticas. Vamos para a Europa em agosto e estamos só esperando sair o calendário do campeonato espanhol pra poder planejar o resto da viagem, ou seja, amo esse companheirismo, o carinho com que ele atende minhas vontades, como se empenha pra sempre dar o melhor de si para o relacionamento, como me respeita. Enfim, pra mim ele é perfeito”. Podem soltar todos os barulhos de fofura para este depoimento pois eles merecem.

Já ele, gosta do jeito forte dela: “Tirando o time porque nem tudo é perfeito, gosto da determinação e gênio forte que ela tem como sou mais sossegado ela me empurra e me mostra e faz coisas que nunca pensei em fazer”.

A Heineken certamente perdeu aqui uma dupla em potencial para um comercial de verdade.

 



Formada em jornalismo pelo Mackenzie, demorei anos para perceber que dá, sim, para ir atrás dos sonhos e trabalhar com o que se gosta: o esporte. Hoje me divido entre o esporte e a política. Nunca vou me conformar com os que dizem: "É só futebol.."