Terroristas atacam torcida do Real Madrid no Iraque durante final da Champions

Foto: Facebook oficial Real Madrid

Menos de um mês depois de um ataque terrorista, assinado pelo Estado Islâmico, a uma sede de uma torcida organizada do Real Madrid no Iraque, ao menos 12 pessoas morreram na noite deste sábado, em Baakouba, durante a final da Champions League, segundo informações do jornal AS.

O ataque ocorreu há 60 quilômetros de Bagdá próximo de Balad, onde o Estado Islâmico atacou e matou 16 torcedores, além deixar outros 20 feridos, em uma sede da torcida madridista no início do mês.

Em entrevista ao jornal, o presidente da torcida organizada de Baakouba, Ziad Albidani, disse que quatro terroristas invadiram o local no momento em que os torcedores estavam aguardando o início das cobranças de pênaltis entre Real Madrid x Atlético de Madrid e começaram a atirar em tudo e todos que viam pela frente.

Os terroristas conseguiram escapar e até o momento não foram capturados pela polícia local, que está juntando os fatos para chegar aos criminosos.

No ataque anterior, de acordo com relatos, vários buracos de bala nas paredes e poltronas reviradas foram encontradas numa sala que exibia jogos ao vivo e também partidas passadas para os fãs cultuarem a idolatria a equipe.

O presidente do consulado madridista, Ziad Subhan falou sobre o ocorrido e mostrou sua indignação com a carnificina registrada.

“Um grupo de terroristas islâmicos, ligados ao ISIS (Estado Islâmico), entrou aqui armados com fuzis AK-47, atirando a esmo em todos que estavam lá dentro. Eles não gostam de futebol, acham que isso é anti-muçulmano. Simplesmente realizaram este ataque e esta é uma tragédia terrível”.

Vários fãs manifestaram apoio ao grupo de torcedores nas redes sociais.