Rossi abusa da economia de combustível, e vence a Indy 500

Aos 24 anos, Alexander Rossi conquistou as 500 Milhas de Indianápolis (Foto: Jim Haines/IndyCar)

Com apenas 24 anos de idade, Alexander Rossi será o mais novo rosto no Borg-Warner Trophy. O americano, que disputou cinco corridas da Fórmula 1 em 2015 e que segue como reserva da Manor, venceu a centésima edição das 500 Milhas de Indianápolis, disputada neste domingo (29). O piloto da Andretti-Herta veio em uma janela diferente de paradas nos boxes, abusou da economia de combustível, e faturou a vitória mesmo sendo nove segundo mais lento na última volta.

A segunda colocação ficou com Carlos Muñoz, que precisou parar nos boxes nas voltas finais, como aconteceu com a maior parte dos pilotos. Josef Newgarden ficou com a terceira colocação, seguido pelo brasileiro Tony Kanaan. O grupo dos cinco primeiros ainda contou com Charlie Kimball, um dos companheiros de equipe de Kanaan.

JR Hildebrand terminou a prova deste domingo na sexta colocação, seguido por James Hinchcliffe, que se colocou entre os líderes ao longo de toda a corrida. Scott Dixon ficou com a oitava colocação, logo à frente de Sébastien Bourdais. O grupo dos dez melhores ainda contou com Will Power, enquanto Helio Castroneves foi o 11º, após ter problemas com a carenagem do carro.

A IndyCar Series terá sequência na próxima semana, com a disputa da rodada dupla de Detroit.

Confira como foi a centésima edição das 500 Milhas de Indianápolis

Antes da largada, o carro do veterano Buddy Lazier apresentou problemas, deixando o vencedor da edição de 1996 fora da prova. Com a bandeira teve início com Hinchcliffe e Hunter-Reay se alternando na liderança da prova, enquanto Helio Castroneves manteve a nona posição. Tony Kanaan, por sua vez, ganhou cinco posições na largada.

Com um ritmo forte, Kanaan seguiu avançando, e superou Castroneves na quinta volta para assumir a nona posição. O baiano seguiu escalando o pelotão, se estabelecendo no sétimo posto. Na frente, Hunter-Reay e Hinchcliffe seguiam se alternando na primeira posição, e mais atrás o russo Mikhail Aleshin superou Will Power para entrar no grupo dos cinco melhores.

Líder do campeonato da Indy, Simon Pagenaud apareceu na corrida a partir da 16ª volta, e assumiu a sexta posição da prova dois giros depois, ao superar Will Power, que também foi ultrapassado por Kanaan no mesmo giro. Na 24ª passagem, quem começou a se destacar foi Josef Newgarden, que precisou de duas voltas para sair da quarta para a segunda colocação.

A rodada de paradas nos boxes começaram na 28ª volta, justamente com Hinchcliffe e Hunter-Reay, que se revezaram nos boxes. Kanaan parou duas voltas mais tarde, enquanto Newgarden, Pagenaud e Castroneves fizeram a troca de pneus e o reabastecimento na 31ª passagem. Após as paradas, Ryan Hunter-Reay retomou a liderança, e abriu 2s5 para os rivais.

Townsend Bell, piloto que só disputa a Indy 500, assumiu a liderança pela primeira vez na 42ª volta, após descontar a grande vantagem construída por Hunter-Reay. Cinco giros depois, a primeira bandeira amarela da corrida foi acionada por conta de um detrito na reta oposta. Após as paradas nos boxes, Hunter-Reay tomou a primeira colocação, enquanto Power foi punido após tocar o carro de Kanaan.

A relargada veio na 55ª volta, com uma bela manobra de Newgarden, que superou Bell e Pagenaud para assumir a segunda colocação. O francês, aliás, perdeu várias posições, sendo ultrapassado por Kanaan e Castroneves, caindo para a oitava colocação. Bell, por sua vez, se recuperou da relargada ruim e voltou a pontear a corrida na 57ª volta, passando por Hunter-Reay.

Na 58ª volta, Bell tornou a perder duas posições, superado por Hunter-Reay e Hinchcliffe. Três voltas depois, Juan Pablo Montoya rodou sozinho e parou no muro, provocando a segunda bandeira amarela da corrida. Na rodada de paradas nos boxes, Hinchcliffe foi o primeiro a sair dos boxes, seguido por Hunter-Reay e Castroneves. O líder, porém passou a ser Will Power, que não fez o pit stop. Pagenaud foi punido após tocar o carro de um rival nos boxes.

A relargada veio na 75ª volta, e Hinchcliffe não teve dificuldades para superar Power, retornando para a liderança. O australiano foi perdendo posições, muito por conta dos pneus mais desgastados. Castroneves passou a avançar a partir da 80ª passagem, quando entrou no grupo dos cinco primeiros, tomando a liderança pela primeira vez na 90ª volta, ao superar o canadense da Schmidt Peterson.

O brasileiro da Penske era o líder quando, na 94ª volta, quando Sage Karam, então quarto colocado, acabou no muro, e o Safety Car foi à pista pela terceira vez na prova. Na rodada de parada nos boxes, Castroneves foi o primeiro a deixar o pit lane, mas só reassumiu a liderança na centésima passagem, quando Bryan Clauson fez sua parada.

A prova teve seu recomeço na 105ª volta, com Hunter-Reay superando Castroneves para retomar a primeira posição, enquanto Kanaan pulou da sexta para a terceira colocação. O baiano passou o paulista duas voltas depois, e assumiu a liderança pela primeira vez na corrida na 109ª passagem. Hunter-Reay voltou a ocupar a primeira posição no giro seguinte, enquanto Bell passou por Kanaan, derrubando o piloto da Ganassi ao terceiro lugar.

Townsend Bell voltou para a liderança na 113ª volta, ao passar por Hunter-Reay. Dois giros depois, o Safety Car retornou à pista por conta de um acidente com Mikhail Aleshin, que bateu no muro, e viu Conor Daly também perder o controle após frear para não bater. Nos boxes, Bell tocou o carro de Castroneves e bateu com Hunter-Reay. Alex Tagliani, que não parou, assumiu a liderança.

A bandeira verde foi acionada na 122ª volta, com Alexander Rossi tomando a liderança da prova, enquanto Hinchcliffe superou Castroneves para assumir a terceira posição. O canadense, veterano na Indy, recuperou a primeira posição, mas foi novamente superado pelo ex-piloto da Marussia na Fórmula 1 na 128ª volta. Rossi, então, passou a ficar atrás de Townsend Bell, agora retardatário.

Kanaan e Castroneves superaram Hinchcliffe para assumir a terceira e a quarta colocações, respectivamente. Tagliani finalmente fez sua parada na volta 136, mesmo giro em que o brasileiro da Penske passou pelo compatriota da Ganassi. Três giros mais tarde foi a vez de Rossi trocar os pneus e reabastecer o carro.

A bandeira amarela foi acionada na volta 150, quando uma das rodas do carro de Buddy Lazier se soltou na pista. No mesmo giro, mas antes da entrada do Safety Car, Castroneves e Kanaan entraram nos boxes, com o representante da Penske voltando à frente. O tricampeão das 500 Milhas voltou à liderança quando Carlos Muñoz, então primeiro colocado, foi aos boxes.

O reinício da corrida veio na volta 159, e Kanaan retomou a liderança, seguido por Newgarden, Hinchcliffe e Castroneves, que perdeu rendimento após sofrer um toque de JR Hildebrand. Porém, para a sorte do brasileiro, Takuma Sato lambeu o muro, forçando nova entrada do Safety Car. Hildebrand ficou na pista e assumiu a liderança, seguido por Tagliani e Hinchcliffe.

A prova teve recomeço na 168ª volta, com Kanaan reassumindo a liderança, passando por Hildebrand. Newgarden avançou para o segundo lugar, enquanto Hinchcliffe pulou para o terceiro lugar, mas distante dos dois primeiros. Relargando do fim do pelotão, Castroneves ganhou a 13ª posição na 178ª volta.

Newgarden tomou a liderança na 180ª volta, superando Kanaan, que voltou ao primeiro lugar na abertura da 183ª passagem, mas a Ganassi disse que o brasileiro não tinha combustível para chegar ao final da corrida. O baiano, pouco depois, caiu para terceiro, sendo ultrapassado por Newgarden e por Muñoz.

O colombiano da Andretti assumiu a liderança na 191ª volta, mas foi superado por Newgarden duas voltas depois. Kanaan e Dixon foram aos boxes também na 193ª volta. Os dois seguiram se alternando na liderança, mas Newgarden veio aos boxes na 196ª passagem, assim como Hinchcliffe e Oriol Servia. Muñoz parou na 197ª volta.
Com tantas paradas, a liderança caiu no colo de Alexander Rossi, que abusou da economia de combustível para vencer a prova. Carlos Muñoz terminou em segundo, seguido por Josef Newgarden. Tony Kanaan foi o quarto, enquanto Helio Castroneves ficou com a 11ª posição.

Foto: Jim Haines/IndyCar



Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.