Opinião: Seis tópicos ajudam a entender a eliminação do Grêmio na Libertadores

Foto: Lucas Uebel

O Grêmio chegou a Libertadores 2016 graças ao terceiro lugar no Brasileirão do ano passado e a esperança era de fazer uma boa figura na competição sul-americana de clubes. Porém, os números mostram que em 8 jogos foram 3 vitórias nada convincentes, 2 empates e 3 derrotas, com o mesmo numero de gols marcados e sofridos.

Veja abaixo algumas razões que explicam a queda gremista em pouco mais de dois meses de Libertadores, sem que houvesse um motivo real de empolgação.

1-Poucos reforços

O time que foi terceiro colocado no nacional tinha um bom esquema montado pelo técnico Roger Machado. Porém, precisava reforçar alguns pontos fundamentais de sua equipe, como defesa e meio campo. O time demorou a entender que apenas com o que tinha, não daria para sonhar em ir longe.

2-Sem um foco, a dispersão fica evidente

No primeiro semestre, o time teve Primeira Liga, Gaúchão e Libertadores e a pressão por um título nacional ou até no exterior acabou pesando sobre os jogadores e comissão técnica. Se uma competição tivesse sido escolhida e focado nela, a chance de sucesso poderia ser maior.

3-No Grenal da caxumba…

Sejamos sinceros, quando surgiu o surto de caxumba na região de Porto Alegre, o rival foi bem mais eficiente. No primeiro sinal de doença, o departamento médico vermelho mandou vacinar todo o grupo. O DM gremista só ia perdendo jogadores para a doença e isso ajudou a complicar a situação.

4-Depois da empolgação…

Roger Machado nunca conseguiu fazer em 2016 o mesmo futebol vistoso do ano passado. Nas vitórias contra LDU e Toluca, venceu, mas não convenceu. Além disso, no jogo na Arena contra os mexicanos, chegou a tomar pressão e o resultado mais justo seria o empate.

5-Lei de Homer Simpson

Quase todo mundo já ouviu falar da “Lei de Homer Simpson”, que é “A culpa é minha e boto em quem eu quiser”. Isso ajuda a entender este tópico, uma vez que os dirigentes culpavam a Federação Gaúcha, seu presidente,, falta de treinos, viagens, calendário, mas em momento algum assumiram que o grupo estava com problemas e que talvez precisasse de alguém que conversasse com o vestiário.

6-Na despedida, dois tangos doloridos

O Grêmio conseguiu perder seus dois jogos nas quartas de final para o Rosario, não marcou gol e levou quatro e ainda viu um jogador que interessou no começo do ano ser seu carrasco. Marco Ruben mostrou porque é um dos principais nome da equipe “Canalla”. Além do bom futebol seu repertório de jogadas, ele teve Cervi para abastecer o ataque e Roger demorou a reagir. Ele levou muito tempo para pôr o time no ataque e isso acabou sendo fatal.