OPINIÃO: Paulo Nobre desvaloriza o torcedor do Palmeiras

Foto: Vanessa Carvalho/Brazil Photo Press/LatinContent/Getty Images)

Eleito como presidente do Palmeiras em janeiro de 2013 e reeleito no final de 2014 até o final de 2016, Paulo Nobre está em seus últimos meses como autoridade máxima do Palestra Italia. E nestes quase quatro anos, muitas polêmicas aconteceram. Nesta semana, mais uma delas que mostra uma certa desvalorização com o torcedor alviverde.

Começou ontem às 10h da manhã a comercialização, por internet, para um dos maiores clássicos do futebol brasileiro, entre Palmeiras e Grêmio, na próxima quinta-feira às 21h no Pacaembu já que o Allianz Parque está reservado para um show.

O sistema de vendas do Palmeiras para os sócios Avanti sempre começa com cerca de uma semana de antecedência à partida e dependendo dos planos, o bilhete pode sair com 100% de desconto. No Allianz, a Cadeira Gol Norte custa R$ 80,00 e para sócios que tem o Plano Ouro (R$ 109,00), gratuitamente. Para demais setores, outros descontos como de 75% e 50%. Quando mais caro o plano, mais descontos na hora de comprar o ingresso.

Quando o Palestra joga no Pacaembu, os ingressos não custam o mesmo valor do cobrado no Estádio Parque Antártica, são mais baratos. E dois são os setores que, para quem aderiu o Plano Ouro, teriam o desconto total: as arquibancadas Verde, Amarela e Laranja, além do Tobogã. Foi assim nos jogos da temporada passada no Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho e nas partidas deste começo de ano. Mas Nobre e sua diretoria resolveram mudar o valor do desconto para este jogo diante o Grêmio. Apenas metade do Tobogã terá este desconto de 100% para os que possuem o Plano Ouro. A outra metade e as arquibancadas serão cobradas, diferentemente do que acontece no Allianz Parque e aconteceu nos outros jogos no Pacaembu.

Além disso as torcidas organizadas terão, obrigatoriamente se quiserem levar seus instrumentos e demais objetos, ir na Arquibancada Amarela, impossibilitando a entrada no Tobogã, que também era um setor que as organizadas poderiam entrar. A grande maioria dos membros das organizadas tem este plano do Avanti que tem gratuitidade para o Gol Norte, mas eles teriam que pagar ainda para entrar na arquibancada do Pacaembu.

As torcidas organizadas (Mancha Verde, TUP, Savoia entre outras) foram quem sempre animaram o Palestra Italia, o Pacaembu ou qualquer local que jogasse o Verdão. São sempre os setores que eles vão que esgota primeiro e está sempre cheio por causa deles. É uma falta de respeito com este torcedor que paga alta mensalidade, que empurra o time, acompanha mesmo jogando em outro Estado. Em jogos que as organizadas ficaram quietas como protesto, percebeu-se a importância que elas tinham dentro do jogo. O Palmeiras ganhou a Copa do Brasil 2015 por causa de sua torcida. Sem ela, seria praticamente impossível.

Em mais de 101 anos de histórias, o Palmeiras sempre foi um adversário temido por sua torcida, que como diz no hino “canta e vibra”. Nobre se não quer valorizar estes torcedores que levam esta parte do hino mais a sério deve, pelo menos, manter as tradições, não cobrar por algo que já está sendo pago (ingresso para os sócios que pagam mais caro), liberar o Tobogã para organizadas (como sempre aconteceu). Se o Palmeiras quer ser campeão brasileiro, devem juntar em uma só corrente os jogadores, diretoria e torcedores.



Jornalista formado pela FIAM FAAM. Apaixonado por futebol independente do país ou divisão. Setorista do Inter e esportes olímpicos. Contato: mohamed.nassif12@hotmail.com