Opinião: Na balada de Luan

Foto: Washington Alves

Luan quando joga na sua posição é vital pra o Grêmio. É salutar para o tricolor que Roger e Luan estejam na mesma balada.

Enganam-se aqueles que afirmam que esporte de alto-rendimento é algo salutar. Ao contrário de quem pratica atividade física regular para qualidade de vida, um atleta profissional tem no seu corpo a ferramenta de trabalho. Assim, ele é exigido acima dos padrões saudáveis para render ao máximo – e por isso as lesões são frequentes.

Ontem à noite contra o Atlético Mineiro, o Grêmio além de fazer três gols em 45 minutos, teve um hat-trick de lesões. Coincidência ou não, as contusões de Fred, Henrique Almeida e Marcelo Oliveira (além de Bobô) aconteceram exatamente no momento em que o Brasileirão toma a sua forma macabra de dois jogos semanais; exigindo muito mais da parte física dos atletas.

O infelicidade de quem se lesionou, foi a “sorte” de Luan. Chamado de soneca ou baladeiro, ele vinha sendo criticado por alguns, ao mesmo tempo que outros tantos conclamavam para Roger Machado posicioná-lo como falso 9.

É bem verdade que o primeiro gol do Grêmio na partida saiu de uma jogada de pivô feita por Henrique Almeida; que em termos efetivos, foi também a primeira vez que a figura do centroavante “apareceu” nesta nova concepção tática do treinador gremista.

Porém com Luan shadow striker, o Grêmio cresceu

Nesta posição, o atacante gremista marcou os seus dois gols no jogo e selou a vitória por 3 a 0. Fazendo com que Roger admitisse na sua coletiva pós-jogo que o jogador “se credenciou novamente” para jogar nesta posição.

Mas espera um pouco, vamos dar o devido crédito a quem merece, ok?

Roger Machado tem o mérito de ter re-estruturado a equipe ao ponto do Grêmio não sofrer mais gols. É também parte da competência do treinador gremista, a re-mobilização do grupo e a capacidade de administrar o vestiário; “segurando o rojão” de ter colocado Douglas no banco de reservas (aliás, fez bem o “chá de banco” ao pifador).

Por outro lado, é mérito do garoto Luan ter baixado a cabeça e cumprido com as ordens do comandante gremista. O atacante de 23 anos, jogando pelo lado e recompondo na linha de quatro do meio, era normalmente substituído e saia de campo sem fazer nenhum gol. Mas mesmo assim manteve a atitude profissional e humilde dentro de campo – sem precisar mandar recados via imprensa ou redes sociais.

Dessa forma, ontem, ao final da noite gremista todo mundo se deu bem. É muito salutar para o Grêmio que agora Roger e Luan estão na mesma balada.



Luis Henrique Rolim usa do sarcasmo e da linguagem popular para comer as pizzas do esporte. Futebol, surfe e Jogos Olímpicos são seus sabores favoritos. Ama os gordurosos assuntos extra-campo, e por isso tem colesterol acima da média. Debate ideias, não pessoas.