Opinião: De 1 a 11, conheça o melhor Santos que eu vi jogar

É uma tarefa quase impossível escolher o melhor Santos de todos os tempos, dada a quantidade de boas opções. Quando se trata do Peixe que vi jogar, a tarefa se torna um pouco mais fácil.

LEIA MAIS:
Opinião: Santos, obrigado pelo privilégio de torcer para você

Considero com condições de opinar sobre futebol a partir de 1995, quando tinha 11 anos e chorei vendo aquele time de Giovanni e cia saindo injustamente derrotado pelo Botafogo na final do Brasileirão. Por isso, na minha lista, valem os jogadores que atuaram no Santos entre 1995 e 2016.

Confira como ficaria o esquema tático:

football formations

As explicações dos jogadores:

Defesa:

Fábio Costa: Goleiro teve um momento incrível pelo Santos em 2002, quando foi um dos principais responsáveis pelo título brasileiro.

Maurinho: No auge, o lateral-direito jogou demais pelo Santos, principalmente no apoio ao ataque

Alex: Uma das gratas revelações do time campeão brasileiro de 2002. Seguro na zaga, impunha respeito aos adversários

Durval: Fez parte de uma época vencedora do Santos. Se não foi brilhante, era muito regular, e impunha respeito aos adversários.

Leo: Um dos maiores ídolos da história recente do Santos, pelo que representava em campo e fora dele.

Meio-campo:

Renato: Jogou MUITO bem em 2002 e teve a proeza de, mesmo veterano, manter o mesmo nível de excelência quando voltou no ano passado.

Ganso: Não faço parte da lista de torcedores que guardou mágoa do Ganso. Foi um grande jogador, jogou o seu melhor futebol na Vila Belmiro. Hoje mostra que sabe marcar também, o que permitiria escalá-lo como segundo homem do meio-campo.

Giovanni: O maior ídolo da geração que acompanhou o Santos na fila de títulos, a qual eu pertenço. Jogou demais em 1995. Muito merecido ter voltado em 2010 pela terceira vez para ser campeão.

Ataque:

Neymar: Dispensa comentários. O que fez com a camisa do Santos vai ficar marcado por várias gerações.

Robinho: Apesar do episódio do Atlético-MG, Robinho está eternamente marcado para o torcedor do Santos, principalmente por ter jogado muito nas suas três passagens pelo clube.

Ricardo Oliveira: Tanto em 2003 quanto agora, mostrou muito bem o que sabe: fazer gols. Não é um centroavante fixo, o que permite escalá-lo com esse ataque rápido.

Treinador:

Dorival Júnior: Foi o treinador que melhor soube enxergar o famoso “DNA santista” de privilegiar o ataque, e respeitar a história do clube. Montou dois grandes times nas suas duas passagens pelo Santos. Espero que fique no Peixe por muito tempo.

E você, gostou da lista? Quem colocaria diferente? Opine nos comentários!



Jornalista de esportes desde 2005, com passagem pelo UOL e Terra. Editor de comunidades do Torcedores.com e blogueiro do renanprates.com