Michel Platini renuncia à presidência da Uefa

Reprodução/Facebook Oficial da Uefa

Michel Platini não é mais presidente da Uefa. Segundo o Uol Esporte, o francês anunciou sua renúncia do comando da entidade após a Corte Arbitral do Esporte (CAS) anunciar que a pena de suspensão do ex-jogador do futebol ser reduzida para quatro anos, dos seis a qual o dirigente estava cumprindo segundo determinação da Fifa.

LEIA MAIS

BANCO DO CHELSEA PODE SER INDÍCIO DE PERMANÊNCIA DE PATO. ENTENDA!

Em comunicado à imprensa, Platini confirmou que estava renunciando ao cargo para poder ‘continuar a luta’ nos tribunais e que considera ‘uma profunda injustiça’ a decisão do CAS de manter a suspensão e não acabar com ela, conforme queria o agora ex-presidente da Uefa.

Michel Platini foi suspenso, originalmente por oito anos, ao final de 2015 pela acusação de ter recebido dinheiro para não ser adversário do então presidente da Fifa (e também suspenso) Joseph Blatter na eleição para presidente da entidade, em 2011. O dinheiro teria sido pago através de um trabalho de assessoria feito pelo francês a Blatter, ao qual ao CAS acredita ‘não haver a legitmidade do pagamento’.

A suspensão fora reduzida para seis anos em fevereiro último ao ter um recurso aceito pela própria Fifa. Segundo a decisão do CAS, Platini ‘não teria demonstrado arrependimento’ por ter recebido dinheiro de Blatter para a tal assessoria. Mesmo assim, a ‘severidade’ da punição fez com que a mesma fosse reduzida em dois anos.

A Uefa anunciou que só deverá confirmar o nome do sucessor de Platini através de um congresso para eleger o novo presidente da entidade. No momento, o cargo de presidente da organização ainda não foi preenchido por um substituto do francês.

(Crédito da foto: Reprodução/Facebook Oficial da Uefa)