Meninas dão show contra garotos e viram febre em evento de futebol de rua da Nike

Roberto Junior/Torcedores.com

Um time feminino contra diversas equipes masculinas. Com a diferença da condição física, os homens poderiam até levar a melhor, mas não foi o que se viu nesta quinta-feira no “Batalha das Quadras”, evento da Nike que valoriza o espaço reduzido como o futsal e futebol de rua.

As meninas do Vila Vintém, da comunidade do Rio de Janeiro, entraram em quadra buscando seu espaço e conseguiram. Única equipe feminina em meio a dezenas de times masculinos, o time da comunidade localizado na Zona Oeste do Rio de Janeiro, chegou a fazer seis jogos, onde nessas perdeu apenas uma partida.

O Vila Vintém não disputa jogos de salão. Possuem um time de campo, onde disputam torneios e inclusive jogaram a Taça das Favelas, também patrocinado pela Nike e que reúne equipes de futebol amador das comunidades do Rio de Janeiro.

Mas elas não se intimidaram em ter que se adaptar a um espaço menor. Tirar onda com os garotos após vencê-los? Muito pelo contrário. Elas entraram em quadra respeitando as equipes masculinas e também ganharam o respeito de todos.

Viemos com o intuito de se divertir. Como é um evento grande, não esperávamos bater de frente com os meninos, que iria ter tanta equipe boa. Quando ficamos sabendo que iriamos jogar contra os meninos, em nenhum momento houve preconceito, os meninos não olharam para a gente e falaram ‘Olha lá, coitadinhas delas. Vamos chegar devagar’. Muito pelo contrário, eles suaram a camisa para ganhar de nós”, conta Lívia Oliveira, jogadora do Vila Vintém. “Fico feliz pelo futebol feminino não ter tanto preconceito igual antes, tem muita gente nos apoiando e fico muito feliz com isso”, completa.

Roberto Junior/Torcedores.com - comemoração após vitória do Vila Vintém
Roberto Junior/Torcedores.com – comemoração após vitória do Vila Vintém

A cada vitória, a cada gol do Vila Vintém, os fãs ao redor da quadra vibravam como se fosse torcedores fanáticos da equipe amadora. Lívia revela que é legal ver tanto esforço dando resultado positivo e as pessoas não verem as meninas como um sexo frágil.

É muito bom. Chega a ser gratificante, porque tanto tempo que a gente trabalha, que a gente vêm caminhando ao longo do tempo, batalhando para olharem para gente não com pena e falarem ‘Elas são isso, são aquilo…’. Batalhamos para estamos aqui e para olharem para nós meninas, olharem os meninos e enxergarem que estamos no mesmo patamar que eles,  é muito bom, é maravilhoso”, declara Lívia.

As meninas do Vila Vintém sofreram com chegadas mais fortes dos garotos, mas elas responderam com futebol, sem ficarem mais exaltadas pelas entradas dos homens. Cristilene Souza, de 21 anos, afirma que o futebol feminino também tem que ser valorizado, pois todas as qualidades que os jogadores possuem as mulheres também têm.

Roberto Junior/Torcedores.com
Roberto Junior/Torcedores.com

Isso é muito bom pra nós (ganhar dos homens). Isso é para mostrar que o futebol feminino também tem capacidade. Os homens têm sim força física, habilidade, mas também estamos mostrando que nós também temos tudo isso. Não dá força física, mas da habilidade. Nas partidas eles jogaram mais com força porque somos meninas. E nós usamos o que? A calma, a habilidade, a posse de bola, soubemos pensar o que fazer na quadra”, exalta Cristilene. “Nós mostramos que estamos aí para vencer”, completa.

* O repórter viajou a convite da organização do evento



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.