Diretor da DIS critica Neymar: “Não pode ser exemplo para nossos filhos”

Getty Images

A atual temporada de Neymar com a camisa do Barcelona está longe de ser semelhante a anterior, quando conquistou tudo com o clube culé e ainda foi um dos finalistas ao Bola de Ouro da Fifa. Além dos problemas com a justiça brasileira, o atacante é alvo constante de criticas da imprensa espanhola por seu baixo rendimento em campo e sua vida fora dele.

LEIA TAMBÉM:
Pintou um clima? Irmã de Neymar e Lucas Lima são vistos aos beijos

Nesta sexta-feira, em uma entrevista publicada no jornal Marca, da Espanha, o diretor da DIS, fundo de investimento que move uma ação na justiça contra o brasileiro, Roberto Moreno, fez duras criticas a conduta do jogador e de seu pai. “Nos sentimos traídos e enganados. Nós cuidamos dele quando era uma promessa. Investimos muito dinheiro apesar dos riscos e chegou a um momento em que ele nos enganou. Neymar não pode ser exemplo para nossos filhos, nem um ícone, pois está sendo investigado por evasão e corrupção.”

Quando a transferência de Neymar para o Barcelona foi sacramentada, a DIS detinha 40% dos direitos econômicos do jogador, e afirma que a negociação representou algo em torno de 100 milhões euros, mas que oficialmente o valor declarado foi de apenas 17,1 milhões de euros.

A  DIS acredita que houve estelionato por parte da família de Neymar ao simularem acordos “de imagem” com o Barcelona para não incluir esses valores na transferência. Ao todo seriam dois acordo de 10 milhões de euros cada.

“Conferimos o balanço anual do Barcelona e havia registro de compromisso de compra de jogadores no valor de 40 milhões de euros, sendo 10 milhões de forma antecipada. A imprensa espanhola dizia que se referia a Neymar. Me estranhou porque minha empresa tinha direito a 40% e ninguém sabia de nada”, disse Moreno.

“Na época, procurei a diretoria do Barcelona para perguntar se existia algum contrato com o Neymar e com o pai dele, e a resposta foi que não. Mentiram na nossa cara e mais tarde soubemos que haviam firmado contrato que garantia a aquisição antecipada”, completou o diretor da DIS.

Confira comunicado enviado ao Torcedores pela assessoria de imprensa de Neymar:

Com relação à entrevista concedida por Roberto Moreno, diretor executivo do Grupo DIS, à imprensa espanhola, e com o objetivo de colocar fim às inverdades e acusações sem sentido proferidas por representantes do Grupo DIS, gostaríamos de esclarecer que:

– A DIS adquiriu 40% dos direitos econômicos do atleta Neymar Jr. em 6 de março 2009, no valor de R$ 5 milhões. Na transferência do atleta para o FC Barcelona, em 10/07/2013, a DIS recebeu R$ 19.774.251,22, sendo este o valor exato que representava a sua participação no contrato. O lucro do investimento pra a DIS foi de aproximadamente 290%.

– Esta participação da DIS nos direitos econômicos do atleta referia-se somente ao contrato mantido com o Santos FC. Portanto, o que estava previsto em contrato – 40% da multa rescisória paga pelo clube comprador – foi devidamente cumprido.

– O contrato da DIS com o Santos FC para aquisição de 40% dos direitos econômicos do atleta tinha perfil extremamente “draconiano”, incluindo garantias de retorno e zerando possibilidades de riscos para o investidor. Em caso de insucesso, o clube e o atleta seriam os maiores prejudicados, pois não tinham nenhuma garantia de retorno, diferente do grupo DIS. Foi fixada penalidade severa em desfavor de Neymar Jr., exatamente o dobro (R$ 10 milhões) do investimento, caso não houvesse pagamento de multa rescisória superior ao investido (R$ 5 milhões). A DIS tentou de todas as formas influenciar no futuro do atleta, interferindo ilegalmente em sua possível transferência. O Santos FC já foi penalizado pela FIFA devido à interferência da empresa neste caso.

– O valor que a DIS alega ter sido pago pelo Barcelona FC à Neymar Jr. refere-se à aquisição da preferência para que Neymar Jr. optasse pelo clube espanhol ao fim de seu ciclo no Santos FC, o que ocorreu após pagamento da multa rescisória em 2013. Esta preferência foi autorizada em documento oficial pelo Santos FC e permitiu que o atleta fizesse seu plano de carreira, não tendo relação alguma com o contrato vigente com o Santos FC, cuja multa rescisória foi devidamente paga, com 40% do valor destinado à DIS.

– A DIS fez apenas um investimento inicial na carreira do atleta, com exigência total de retorno. Fora isso, a empresa não é responsável pelo sucesso de Neymar Jr. Quem pagou os salários do atleta durante o período (2009/2013)? O Santos FC. Quem forneceu material esportivo ao Atleta durante o período? A Nike. Quem trabalhou e valorizou a imagem do Atleta durante o período? O Santos FC, a Seleção Brasileira, a Neymar Sport e Marketing e seus parceiros e patrocinadores. Quem trabalhou diariamente para cumprir seu papel de atleta profissional, treinando, correndo, fazendo gols e jogadas espetaculares? O próprio Neymar Jr.

– O processo movido pela DIS contra o Barcelona FC na Justiça Espanhola não foi sequer aceito pelos tribunais locais. Neymar Jr. e seu staff jamais foram réus na Espanha.

Por fim, claramente, reforçamos que a DIS pretende prejudicar a imagem de um dos principais ídolos brasileiros e mundiais, o atleta Neymar Jr., e que foi um dos melhores investimentos feitos pela empresa. Infelizmente, o que a DIS deveria apontar como caso de sucesso em sua trajetória, a empresa prefere apontar como um fracasso. Esta visão mostra a falta de seriedade da DIS e sua total falta de compromisso com o futebol brasileiro.

NN Consultoria