Opinião: Tite não é o mesmo após o estágio na Europa; descubra o porquê

Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

A volta de Tite presenteou a fiel no final do ano de 2014, trazendo possíveis esperanças de um time novamente campeão de torneios continentais e da administração perfeita de um clube.
LEIA MAIS:
Opinião: o Corinthians foi vítima da injustiça do mata-mata
Não foi um fracasso, aliás não está sendo. Entretanto, Tite mudou sua forma de pensar futebol e agir nas escalações. Buscou um time com regularidade, e achou. Um time com regularidade é aquele que ganha continuamente, que passa a ser questionado por más atuações com raridade, é a utopia de um time, em relação a futebol.
Seu problema virou jogos em mata-mata, quando os times mostram outro comportamento em relação a torneios de pontos corridos, onde os times jogam “a vida”. Portanto esse tem sido o problema do “novo” Corinthians, tem agido em mata-mata de uma forma muito semelhante aos jogos de pontos corridos, quando deveria agir diferente.
Contra o Nacional, na eliminação da Libertadores, quarta, o treinador não mudou o estilo de jogo quando deveria, manteve o sistema de horizontalidade para envolver o adversário e verticalidade na hora de agredir, devendo partir para cima a qualquer custo, precisando do resultado desesperadamente, mesmo quando o time do Uruguai já ganhava por 2 a 1.
Muito defensor da meritocracia, Tite sequer relacionou para o jogo o meia Marlone, que foi um dos melhores em campo diante do Cobresal, mas não entrou contra o Audax e nem contra o Nacional em nenhum dos jogos das oitavas de final da Copa Libertadores.
Claro que é válido ressaltar que o Corinthians perdeu muitos atletas na última janela de transferências e nem todas as posições foram preenchidas à altura, com os novos reforços. Principalmente no setor defensivo, que teve regularidade positiva na primeira fase do campeonato paulista, no entanto não foi eficaz nas últimas partidas. Sente-se falta do Gil, inquestionável zagueiro que hoje joga na China. Balbuena e Vilson poderiam ser um de seus suplentes, mas Tite optou por Yago, que não comprometia mas também não passava sensação de segurança e deixou a desejar contra o Nacional.
Tite pode reverter este quadro ganhando a Copa do Brasil, ainda neste ano. O Corinthians entrará no campeonato nas oitavas de final devido a sua participação na Libertadores. Lembrando que o time não passa das quartas de final do torneio nacional desde 2009, quando foi campeão.
Ganhar o brasileiro seria ótimo, mas com uma eliminação na Copa do Brasil só confirmaria o que muitos já acham: o Corinthians não é mais o mesmo em mata-mata.



Estudante de Jornalismo na FIAM/FAAM - 20 anos