Veja por que Getúlio Vargas fazia discursos no estádio do Vasco

vasco

O estádio Vasco da Gama, mais conhecido como São Januário, completa neste 21 de abril 89 anos de vida. Construído com dinheiro de particulares, a Colina Histórica, como também passou a ser chamada posteriormente, se tornou o maior palco de jogos da América do Sul em sua inauguração.

LEIA MAIS:
VÍDEO: FILHO DE ZIDANE É CRITICADO POR MEDO DE LEVAR BOLADA
OPINIÃO: VASCO TINHA O DIREITO DE ENFRENTAR O FLAMENGO EM SÃO JANUÁRIO
VÍDEO: DROGBA MARCA GOLAÇO DE LETRA NOS ESTADOS UNIDOS; CONFIRA
5 IMAGENS PARA OS VASCAÍNOS ZOAREM O FLUMINENSE SEM OFENDER

Com uma capacidade para mais de 30 mil pessoas, São Januário ficou com o título de o maior estádio do Brasil até a inauguração do Pacaembu, em 1940. Naquela época, o Rio de Janeiro era a Capital Federal e, como de costume, o local de onde governava o Presidente da República.

A partir de 1930, após o Movimento de 1930, Getúlio Vargas assumiu o comando da nação e se notabilizou por fazer grandes e históricos discursos no campo do Vasco da Gama. Foi em São Januário, por exemplo, que ele assinou a lei que instituiu o Salário Mínimo (1º de maio de 1940) e divulgou instalação da Justiça do Trabalho (1º de maio de 1941).

Os motivos que fizeram o então Presidente a escolher São Januário era pelo fato de o local ser na época o maior palco do maior esporte do Brasil. A grandiosidade dos discursos de Vargas exigia um local a altura, a fim de reforçar a sua autoridade e boa imagem perante os “trabalhadores do Brasil”.

Crédito da Foto: Getty Images