Opinião: São Paulo precisa ir atrás de um goleiro ‘cascudo’

Denis
Crédito de imagem: Reprodução Twitter

O São Paulo passa agora – depois do final de carreira de Rogério Ceni – a mesma situação que o Palmeiras passou após a aposentadoria de seu maior ídolo, Marcos. Embora tenha um goleiro jogando, há um vácuo de confiança debaixo dos três paus e isso é o que Denis sente nesse momento por parte da torcida Tricolor.

Usando o exemplo do rival paulistano, o Palmeiras quando teve Marcos pendurando as luvas por conta de sua aposentadoria, viu Bruno assumir a camisa 1 e, apesar de ter feito uma boa Copa do Brasil, era o titular no Brasileirão no qual o time acabou rebaixado e a direção do clube teve que correr atrás de um goleiro no mercado para recuperar a confiança do time e da torcida. Prass teve problemas no seu começo, mas não com o clube e sim com contusões. Bruno e Fábio atuaram no gol, e quase que o alviverde caiu novamente para a Série B, só conseguindo sua salvação quando Prass voltou para nunca mais ceder a posição a quem quer que fosse.

Já no caso do São Paulo, Denis já vinha atuando no gol devido a contusões de Rogério Ceni e como reserva, dava conta do recado, mas quando se viu titular, não correspondeu a confiança depositada. São falhas e falhas seguidas, desconfiança, críticas e o desejo na torcida de ver outro jogador usando a camisa de goleiro que não Denis.

A situação chegou a um ponto tal que, quando Denis foi expulso no jogo contra o The Strongest (BOL) na noite passada, Maicon pegou a camisa de goleiro e jogou os minutos finais e em poucos lances, mostrou mais segurança do que Denis em mais de 90 minutos atuando. Além disso, ele foi expulso por dois cartões amarelos completamente bobos.

Por agora, o Tricolor tem Renan Ribeiro se recuperando de uma apendicite e Léo que será o titular contra o Toluca (MEX) na próxima semana, porém, pensando ao longo do ano, há a clara necessidade de o São Paulo ir ao mercado e fazer o mesmo que o Palmeiras fez no passado. Procurar um goleiro experiente, cascudo, que não se abale pelo fato de substituir um ídolo e saiba jogar em momentos decisivos.

Enfim, o São Paulo precisa de um “Fernando Prass” (palmeirenses, é só um exemplo, ok?) para chamar de seu, mas que a procura precisa ser iniciada para ontem, precisa.