Opinião: Grêmio vence mesmo acomodado

Grêmio precisou de 15 minutos para cumprir tabela, fazer a obrigação e vencer o Toluca por 1 a 0 na Arena. O estado letárgico que a equipe entrou no segundo tempo foi compreensível.

É inerente ao ser humano agir conforme o ambiente em que ele se encontra. Se ele é desfavorável, vai-se a luta por melhoras; mas se ele é “favorável”, acomoda-se. No futebol, não seria diferente. Assim, jogadores conscientes das suas responsabilidades como profissionais e representantes de um coletivo, muitas vezes se acomodam.

Pois este foi o Grêmio que venceu o Toluca do México por 1 a 0 ontem à noite na Arena.

Não pense que estou julgando os jogadores gremistas. Muito pelo contrário, entendo eles; e tenho a convicção de que a comissão técnica e a direção estão deixando a “corda esticada” no vestiário. Porém o estado letárgico que o time entrou depois que Luan fez uma bela assistência para Ramiro marcar de cabeça 1 a 0 para Grêmio, foi entediante.

Convenhamos: um time classificado, jogando em casa, contra um oponente desmobilizado, vislumbrando dois jogos decisivos pelo Gauchão; vai lá e aos 15 minutos marca o seu gol, controla o adversário e para o segundo tempo, vê o seu capitão não voltar por preservação: bingo! Lá se vai a concentração e a acomodação toma conta de todos.

Então pouco pode-se extrair da partida de ontem. Porém alguns fatos pontuais chamaram a atenção.

Primeiro, a volta de Marcelo Oliveira a titularidade mostrou mais uma vez que o jogador vive uma crise técnica e passa pela sua pior fase no Grêmio. Tem a confiança de Roger, mas o seu xará Hermes (que não é um craque), vive uma fase melhor e está merecendo um lugar entre os onze.

Depois, um outro ponto tático que chamou a atenção foi a movimentação de Bobô. Não ouvi Roger explicando se foi orientação dele, mas Bobô caiu muito para os lados para fazer a jogada de preparação para outros jogadores finalizarem dentro da área. Não deu muito certo, tanto é que acabou substituído.

Mas enfim, não há o que reclamar. Depois de extirpar do currículo o medo da altitude e manter o padrão Roger Machado de jogar, o Grêmio (mesmo acomodado) venceu e aumentou a série invicta para 13 jogos. Chega em grande momento para encarar o Juventude pelas semifinais do Campeonato Gaúcho.

Na Serra Gaúcha, valendo uma vaga para a final, contra um adversário extremamente motivado; tenho certeza que o ambiente será outro, e a atitude dos jogadores também.

FOTO: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação



Luis Henrique Rolim usa do sarcasmo e da linguagem popular para comer as pizzas do esporte. Futebol, surfe e Jogos Olímpicos são seus sabores favoritos. Ama os gordurosos assuntos extra-campo, e por isso tem colesterol acima da média. Debate ideias, não pessoas.