Opinião: Análise sobre os quatro grandes nas quartas do Paulistão

Crédito da foto: Reprodução/ Facebook oficial Federação Paulista de Futebol

Considerado um time equilibrado na competição e um dos favoritos ao título, o Corinthians recebe o Red Bull em casa, em partida marcada para sábado em sua arena, com um time muito diferente de 2015.

LEIA MAIS:
Confira todas as notícias sobre o Paulistão 2016

Tite não se atentou tanto para a mudança, preferiu seguir o trabalho e optou por remontar uma equipe competitiva e próxima de um patamar de título. O treinador soube conciliar duas competições como a difícil Libertadores e um Paulista esticado desde fevereiro.

E mesmo com resultados magros no torneio continental – Tite e seus comandados souberam chegar de forma suficiente nos excelentes resultados obtidos até agora. A partir da próxima fase tanto no Estadual como Libertadores, a postura do time deva ser outra – ser um time mais agressivo em suas táticas e consistente em campo, sendo percebido e detectado tal fragilidade no clássico contra o Palmeiras.

Já o Palmeiras, que terá pela frente o São Bernardo, vem de uma temporada conturbada, com mudança de técnico, derrotas sentidas e até mesmo de vitórias em partidas mal jogadas. O time alviverde vem em busca de uma nova fase, tentando entre vitórias e empates um novo respiro e caminho rumo a conquistas e títulos, possibilidade mais real apenas no Paulistão.

A situação do time de Palestra na Libertadores já não lhe é favorável. As forças para continuar na competição já não dependem mais do time paulista. Os comandados de Cuca precisam na última rodada vencer o River Plate do Uruguai por goleada e ainda torcer por uma derrota do Rosário fora de casa diante do Nacional. Ou seja, o time pode seguir na Libertadores, acertar seus ponteiros e até mesmo ser campeão, mas para esse fato ocorrer precisa antes contar com a ajuda inicial do Nacional.

O Santos vem com a bagagem de campeão do último Campeonato Paulista, não é favorito ao título, mas traz alguns jogadores campeões em seu plantel, como Lucas Lima e Gabigol. No comando o técnico Dorival Júnior, que reconhece que o time irá precisar de reforços para o segundo semestre – principalmente com a saída de Lucas Lima.

Porém, a equipe conta com a artilharia certeira de Ricardo Oliveira, recém-convocado para a seleção brasileira. Ele reforça o ataque com sua experiência, e proporciona com sua postura em campo mais confiança para todo o elenco santista. O time recebe o São Bento – considerado como adversário indigesto, além de registrar excelente campanha na competição. O Santos tem como uma boa e velha mística: a partida será realizada na Vila Belmiro.

E o São Paulo vive momentos de altos e baixos: às vezes ao brilho de Calleri, em outras partidas com Ganso, Michel Bastos e até mesmo o geralmente reserva Kelvin, que já foi ovacionado por sua torcida. Porém, os destaques ruins ainda são as tormentas da equipe, com resultados péssimos apresentados, como a derrota diante do Strongest na Libertadores em pleno Pacaembu, e a última partida, ainda que com um time diferente em campo, a equipe do Morumbi sofreu uma derrota para o bom time de Sorocaba – São Bento.

E com o passaporte garantido para as quartas de final do estadual de forma antecipada,o Tricolor se classificou, porém com um carimbo amargo – sendo o único time da capital que será visitante e ainda terá que se encaminhar até a cidade de Osasco para enfrentar o competitivo Audax – que almeja chegar as finais da competição.

Na Libertadores, a equipe são-paulina respira bem, mas ainda precisa mostrar mais força em campo e menos crise interna,se quiser chegar mais longe no torneio continental.