Marcos Junior é o destaque do Fluminense na decisão da Primeira Liga

Foto: Nélson Pérez/Fluminense FC

Na primeira etapa tivemos o Fluminense presente no ataque nos primeiros 25 minutos. Depois, o Atlético começou a equilibrar a parada e até ter a bola mais no seu pé, bem como arriscou alguns chutes, que assustaram Diego Cavalieri. Contudo, o placar não se mexeu.

No segundo tempo, após a entrada de Marcos Junior, o time finalmente encaixou um lançamento que resultou em gol, no único da partida que resultou no título do Tricolor das Laranjeiras. O Furacão de Curitiba tentou chegar ao empate e forçar os pênaltis, mas não foi possível.Vamos as motivações da vitória do Tricolor na Primeira Liga.

1-Marcos Junior

Ele não começou como titular, mas após sua entrada, a sina de artilheiro ficou confirmada. Ele recebeu um lançamento e deixou Sidclay e Wevereton na saudade para fazer o 1 a 0.

2-Sidclay (CAP)

As jogadas pelo seu lado foram o mapa da mina do Fluminense. Na segunda etapa, a maioria dos ataques do time das Laranjeiras eram pelo seu setor, além da atuação insegura.

3-Magno Alves

O “magnata” pode não ter tido sua melhor atuação no clube, mas merece destaque pois aos 40 anos ajudou a levar o Tricolor a mais um título.

4-Nikão (CAP)

O atacante atleticano foi o homem que mais preocupou o Fluminense, teve movimentação, arriscou, chutou e não deu sossego a retaguarda de Laranjeiras.

5-Levir Culpi

Chegou com o ano em andamento para ocupar o lugar de Eduardo Baptista. Embora tenha tido rusgas com Fred, conseguiu implantar sua ideologia ofensiva e leva o Flu ao primeiro título de 2016 no futebol brasileiro.