Em situação delicada na Libertadores, Palmeiras quer ser o “novo River” em 2016

Cesar Greco / Agência Palmeiras / Divulgação

As chances do Palmeiras se classificar para a fase de oitavas de final da Libertadores da América são remotas, e isso não é segredo pra ninguém. No entanto, caso avance, ele poderia vir a se tornar um rival indigesto para as melhores equipes da competição.

Um possível ressurgimento alviverde em 2016 lembraria uma outra recente reviravolta de um grande clube na Libertadores: o River Plate em 2015.

A semelhança é grande, afinal, na ocasião, os argentinos jogaram fora de casa na penúltima rodada contra o Tigres, fora de casa. O resultado apontava 2 a 0 para os mexicanos, mas na segunda etapa os Millonarios reagiram e buscaram o empate que mantinha as esperanças (assim como o Palmeiras igualando contra o Rosário, fora de casa e com um jogador a menos).

E foi justamente esse ponto que fez os argentinos sonharem com a classificação. Com a vitória sobre o San José, o River aguardava uma vitória do já classificado Tigres, sobre o Juan Aurich, e ela aconteceu, com emoção, e de virada, 5 a 4.

O Palmeiras necessita de uma vitória sobre o River-Uru, além de uma derrota do Rosário para o Nacional, e somados esses resultados, o Verdão precisa ainda tirar pelo menos, 3 gols de saldo, favoráveis aos argentinos.

Na última competição vimos a campanha dos Millonarios, garantindo a última vaga e enfrentando o rival, Boca Juniors, até então a melhor campanha com 6 vitórias em 6 partidas. O resultado disso já sabemos.

Poderia ser o Verdão um rival indigesto para as melhores campanhas desta atual Libertadores?

Com a classificação, o Palmeiras pode se posicionar, no máximo, na 14ª posição, ficando muito provavelmente no 16° lugar, e, enfrentar uma das 3 melhores campanhas da competição, que reúne os invictos, Atlético Nacional da Colômbia e os mexicanos, PUMAS e Toluca.

O final dessa história (ou o meio dela) poderá ser visto logo mais, às 21h45, no Allianz Parque.