Opinião: Deu liga para o Grêmio

Grêmio
Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Jogando num Estádio Casablanca longe de estar lotado, com o campo molhado por causa da chuva que caía em Quito, o Grêmio derrotou a Liga de Quito e avançou na Copa Libertadores da América.

LEIA MAIS:
OPINIÃO: O VELHO GRÊMIO DE ROGER MACHADO VOLTOU!
OPINIÃO: MARCELO HERMES, NOVO PILAR DA LATERAL ESQUERDA?

Logo aos 3 minutos do primeiro tempo, saiu um gol equatoriano (Romero), bem anulado, já que realmente estava impedido. A equipe da casa imprimia pressão ao Tricolor até que Douglas, em condição irregular, recebeu belo passe de Luan, fintou o zagueiro da Liga de Quito e mandou uma bomba em direção a meta de Domínguez.

Foi o primeiro gol do Grêmio, aos 12 minutos da primeira etapa. A Liga pareceu não sentir o baque do gol gaúcho e seguiu atacando, mas sem efetividade. O torcedor gremista levou um susto ao ver o goleiro Marcelo Grohe cair no chão acusando uma lesão na sola do pé. Nesta semana o goleiro ficou fora de treino para tratar a lesão.

O Grêmio estava controlando a LDU e conseguiu chegar ao segundo gol, aos 25 minutos, Bobô recebeu passe açucarado de Giuliano e tocou por baixo do goleiro. Dois chutes na meta da LDU e dois gols tricolores.

Em meio aos protestos da torcida equatoriana, que já estava impaciente pelos últimos resultados, e assistiu sua equipe atacar mesclando lances pífios e outros com perigo, mas nada que empolgasse a ponto de inflamar o Estádio.

O tricolor gaúcho estava muito bem postado em campo, com um destaque especial para Pedro Geromel (capitão neste jogo – braçadeira merecida), um dos jogadores mais importantes do elenco, se não for o mais importante. O melhor zagueiro do Brasil disparado. Destacaram-se também na primeira etapa o experiente Edinho, Walace, Giuliano, Douglas, Luan e Bobô, ou seja: do meio-campo para frente.

Fim do primeiro tempo, com dois gols a favor e nenhum contra, tudo parecia lindo.

Iniciou a segunda parte do jogo e nem deu tempo de piscar: gol da Liga de Quito. O lateral Quintero recebeu pela direita da zaga do Grêmio e mandou um balaço cruzado, sem chance de defesa para Marcelo Grohe. Os torcedores equatorianos mais desacreditados acordaram e começaram a empurrar o time que prontamente começou a pressionar o Grêmio.

Mas a noite era do Grêmio. Aos 6 minutos, após bola cruzada de Marcelo Hermes, o goleiro da Liga espalmou para frente e a bola caiu no pé do volante Walace. Uma bomba no ângulo, indefensável. Era o 3º gol do Grêmio, resposta imediata ao gol que fora levado no início do jogo. O Grêmio ficou na boa novamente.

As duas equipes alternavam ataques. Aos 14 minutos, o centroavante Bobô lançou Walace (este muito bem, principalmente no segundo tempo, peça fundamental na equipe gremista) e que se não fosse pela intervenção perfeita de Vega, seria o 4º gol do tricolor.

Já aos 19 minutos, foi a vez do milagre aparecer do outro lado, já que Marcelo Grohe salvou com o pé uma bomba do perigoso Tenório. O jogador equatoriano não acreditou no gol que perdeu.

Além de Tenório, outros jogadores da LDU estavam irritados com o goleiro do Grêmio, pela cera feita durante o jogo e sim também pelas defesas que iam segurando o placar. Visivelmente o Grêmio estava cansado, marcou muito e foi efetivo quando preciso.

Eram 31 minutos e no chute de fora da área, com direito a desvio no meio do caminho, a LDU fazia com Cevallos um gol que colocaria fogo novamente no jogo. Vendo que a equipe do Grêmio cansou, o técnico Roger fez duas alterações: Entraram os jogadores Pedro Rocha, Lincoln e Bressan e saíram Douglas, Bobô e Luan. A equipe da casa chegou com perigo em alguns lances, principalmente aos 34′ minutos, com Padilla, cabeceando sozinho mas por sorte para fora. Nos minutos restantes a equipe gaúcha controlou e soube manter a calma com o resultado embaixo do braço.

Fim de jogo em Quito, na altitude, jogo pegado típico da competição.

Grêmio ficou classificado para as oitavas da Copa Libertadores da América de 2016. Foi a 16ª vez que o Tricolor participa deste campeonato e é a 14ª em que passa para o mata-mata. Um ótimo retrospecto, mas nada fora do normal, já que se trata de uma equipe tradicional.

Ainda restando um jogo pela fase de grupos, no dia 19/04, o Grêmio receberá o Toluca.

Que a Arena esteja lotada, a torcida abrace o Grêmio mais uma vez como aconteceu em outras épocas vitoriosas e os mexicanos tremam de medo. Libertadores é para time copeiro e ninguém é mais copeiro que o Tricolor de Porto Alegre.