Patrocínio do Corinthians gera revolta no Flamengo

Rodrigo de Oliveira/Agência Caixa

O contrato de patrocínio entre Caixa e Corinthians, renovado recentemente, gerou revolta num rival, o time do Flamengo. Foi o que mostrou reportagem da ÉPOCA, feita pelo repórter RODRIGO CAPELO. A Caixa renovou o seu contrato com o Corinthians pelo mesmo valor que havia praticado nos anos anteriores, R$ 30 milhões, mas recebe menos espaço publicitário do Timão. O patrocinador contava com sua marca também nas costas do uniforme e agora ficará somente com o peito. Foi essa mudança que irritou dirigentes do time carioca, que também é patrocinado pela Caixa. O Flamengo cede mais espaços no uniforme, peito, ombro e calção e ainda por valor inferior, R$ 25 milhões.

Leia mais Depois de Kobe, relembre outras despedidas marcantes do esporte

 

Segundo a reportagem da ÉPOCA, durante as negociações com a Caixa, no fim de 2015, o Flamengo recebeu do banco a promessa de que nenhum clube teria valores reajustados nas renovações para 2016. Num país que terminou o ano com inflação acima de 10%, só o fato de o time carioca renovar pela mesma verba já faz com que receba um valor real inferior ao da temporada anterior. Por isso a indignação, agora, ao ver que o rival conseguiu um acordo mais vantajoso do que o do ano passado.

 

Ainda segundo a publicação, a Caixa não esclareceu os critérios que adota para escolher quanto dinheiro vai gastar com times de futebol. “A negociação se dá individualmente, seguindo a estratégia mercadológica do banco, conforme as características de cada um e considerando as propriedades ofertadas”, respondeu o banco em nota, sem especificar se importam tamanho de torcida, número de partidas televisionadas e respectivas audiências ou quaisquer outros fatores. A interpretação de cartolas flamenguistas é de que, ao renegociar com condições mais favoráveis ao rival, a Caixa deu o recado de que o Corinthians é um produto mais valioso do que o Flamengo.