Cinco momentos que explicam a eliminação do Palmeiras na Libertadores

Crédito da foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

A trajetória do Palmeiras na Libertadores 2016 chegou ao fim nesta quinta-feira (14), mesmo com a vitória do Alviverde no Allianz Parque sobre o River Plate (URU). A vitória do Rosario Central (ARG), fora de casa, sobre o Nacional (URU), eliminou o Verdão da competição continental na primeira fase, o que não acontecia há 37 anos.

VEJA MAIS
TÍTULO? MUNDIAL? 10 IMAGENS PROVAM QUE PALMEIRAS SÓ EMPOLGOU NA LIBERTADORES
PALMEIRAS 4 X 0 RIVER PLATE-URU: ASSISTA AOS GOLS DA GOLEADA ALVIVERDE

Porém, a queda não aconteceu nesta noite de quinta, e sim antes, em cinco fatos que ajudam a explicar a saída do time brasileiro precocemente do torneio sul-americano. Confira abaixo:

1) Empate contra o River no Uruguai

O Palmeiras estreou na competição com um empate por 2 a 2 com o River Plate, time mais fraco da chave palmeirense. A equipe, até então treinada por Marcelo Oliveira, liderava o placar por duas vezes, ams deixou ali escapar seus primeiros pontos, mesmo jogando longe do Brasil.

2) Derrota para o Nacional (URU) em pleno Allianz

Diz a velha máxima que para se dar bem em um campeonato, tem de se ganhar pontos como mandante e arrancar o máximo que puder fora de seus domínios, para se ter chance de classificação ou título.

Para o Palmeiras isso foi crucial para a eliminação. Venceu dois dos três jogos em casa, e a derrota foi para o Nacional, onde perdeu tanto no Allianz como em Montevidéu, no pior momento psicológico do elenco na temporada.

Bastasse pontuar em ao menos uma dessas duas partidas, que o torcedor estaria comemorando a classificação.

3) A demora para a demissão de Marcelo Oliveira 

O revés para o Nacional na arena alviverde marcou a queda de Marcelo Oliveira no comando do Palmeiras. Mas fazia tempo que o time não rendia em campo, mesmo assim a diretoria bancou até onde foi possível com ele. Será que se trouxessem Cuca antes as coisas teriam sido diferentes?

4) Bolas na trave no jogo contra o Rosario e vitória que escapou

Diante do Rosario Central, o Verdão já estava em ascensão com Cuca, mas vacilou jogando na Argentina. Ganhava o duelo por duas oportunidades, em gols de Gabriel Jesus, porém o mesmo foi expulso de forma infantil e prejudicou o desempenho palmeirense no restante do jogo.

Levou a virada por 3 a 2 e conseguiu a igualdade na sequência. Duas bolas na trave, uma de Edu Dracena e outra de Jesus, também poderiam ter feito o clube brasileiro a ter um resultado positivo no Gigante de Arroyito.

5) O Nacional tirou o pé na última rodada

O Nacional foi sem nove jogadores (entre titulares e reservas) para o duelo final com o Rosario. Para o Palmeiras, bastava vencer o River e torcer para um triunfo uruguaio sobre os argentinos, além de tirar a diferença no saldo de gols.

Difícil de acontecer, convenhamos, ainda mais com o time quase todo desfalcado. Dito e feito, os Bolsos fizeram pior: perderam por 2 a 0, classificaram os Canallas e tornaram inútil a goleada palmeirense no Allianz Parque por 4 a 0.



Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade. Atualmente como repórter colaborador no site Torcedores.com.