Veja cinco esportistas que são a favor do impeachment de Dilma

Divulgação

Em meio as incertezas que o Brasil vem enfrentando no campo político, no próximo domingo (17), acontecerá a votação de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Vários ídolos do esporte brasileiro se posicionaram contra e a favor do pedido que está em tramitação na Câmara dos Deputados, em Brasília.

LEIA MAIS:
QUASE LÁ! – COMITÊ DIZ QUE 98% DAS OBRAS OLÍMPICAS ESTÃO PRONTAS

Listamos aqui cinco personagens do esporte que apoiam o afastamento da Presidente da República:

Ronaldo fenômeno, ex-jogador de futebol:  Embaixador da Copa do Mundo de 2014, o eterno camisa 9 da Seleção Brasileira, é um dos críticos da gestão do governo Dilma Rousseff. Ronaldo apoiou abertamente o candidato do PSDB, Aécio Neves, durante as eleições presidenciais em 2014. Meses antes do inicio da Copa do Mundo, durante uma coletiva Ronaldo fez uma declaração polêmica, onde disse que ‘não se faz Copa com hospitais’. Claro que o comentário não agradou e ele foi bombardeado com críticas pesadas contra seu posicionamento, que pouco tempo depois, pediu desculpas e disse que foi ‘mal interpretado’.

Ana Paula, jogadora de Vôlei de praia: Bastante presente no Twitter e nas manifestações pró-impeachment, a jogadora de vôlei de praia  não fica em cima do muro quando o assunto é política. Maioria dos seus tweets são com fotos nos protestos e ‘denunciando’ atos irregulares praticados pelo governo.

Wanderlei Silva, lutador de MMA: Assim como Ana Paula do Vôlei, o lutador Wanderlei Silva tem presença constante nas redes sociais, mas no lugar do twitter, entra o Facebook. Wanderlei é auto-declarado de ‘direita’ e não poupa palavras ao criticar o governo na rede. Apoia um eventual candidatura de Jair Messias Bolsonaro para presidência. Além da Operação Lava Jato e o juiz Sérgio Moro que comanda a operação contra corrupção na Petrobrás.

Rogério Ceni, ex-jogador de futebol: O ex-goleiro do São Paulo é um pouco mais reservado ao falar de política, mas durante uma coletiva para anunciar, de forma definitiva a sua aposentadoria dos campos foi perguntado sobre a renúncia de Carlos Miguel Aidar, presidente do clube na época, e disse que foi algo ‘louvável’ e esperava que Dilma aproveitasse e fizesse o mesmo. Segundo Ceni, ‘os treze anos que o PT governou foram jogados no lixo’.

Fabrício Werdum, lutador de MMA: Parece que a categoria das lutas aderiram o movimento pró-impeachment. Fabrício Werdum durante o evento do UFC realizado este ano em Curitiba, declarou que ‘era hora de apoiar o juiz Sérgio Moro‘ e ‘compraria quantos ingressos ele quisesse‘ para ver as lutas. Depois complementou dizendo que ‘a arena estaria lotada e apoiava as manifestações pacíficas e daria um recado motivacional’ aos apoiadores do Impeachment. 



Apaixonado por futebol, amante da Fórmula 1, comentarista político quando necessário e peladeiro sempre.