5 jogadores do Palmeiras que saem bem da Libertadores

Palmeiras
Allione (meia) - Argentina. Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

O sonho do Palmeiras de conquistar a Libertadores da América 2016 chegou ao fim nesta quinta-feira (14). Diante de um Allianz Parque lotado, o Verdão fez a sua parte e goleou o River Plate, do Uruguai, por 4 a 0, gols de Egídio, Allione (2) e Alecsandro, mas o resultado não foi suficiente para passar de fase.

LEIA MAIS:
FOTOS: CONHEÇA O NOVO AFFAIR DE FERNANDO ALONSO, SEGUNDO JORNAL
VÍDEO: JOGADOR EVITA SAÍDA DE BOLA PELA LATERAL COM DRIBLE INCRÍVEL
TIME FEMININO IMITA CRISTIANO RONALDO COM FOTO DE “CUECA”
VÍDEO: ATACANTE É ATINGIDO POR EXPLOSIVO DURANTE PARTIDA NA ITÁLIA

Fora de casa, o Rosário Central, da Argentina, venceu o Nacional, do Uruguai, por 2 a 0, e ficou com a primeira colocação do Grupo 2, ao chegar aos 12 pontos, deixando a equipe de Montevidéu com 11 pontos, na segunda colocação. O Palmeiras, por sua vez, fez apenas 8 pontos e ficou em terceiro lugar.

Há muitos motivos a lamentar essa eliminação precoce, no entanto, pelo menos algumas coisas positivas também puderam ser identificadas no time de Cuca e uma delas, certamente, é a melhora de rendimento de alguns jogadores que, antes da principal competição internacional da América do Sul começar, apresentavam um rendimento muito inferior ao que se viu nesses 6 jogos.

Allione, sem dúvida alguma, é o grande exemplo disso e sai da Libertadores como o artilheiro do Palmeiras com 3 gols. Preterido no ano passado, o argentino deu a volta por cima esse ano e aproveitou as chances que teve. Egídio, que chegou para disputar vaga com Zé Roberto, também melhorou bastante seu rendimento ao longo do torneio e hoje pode ser considerado o titular absoluto da posição.

O volante Gabriel, que sofreu bastante com lesões na temporada passada, foi outro atleta que incorporou o espírito de garra da Libertadores e, no curto prazo, não é possível imaginar o meio campo palmeirense sem a sua presença. O mesmo se dá na defesa sem Victor Hugo, quem, ante a má fase de Leandro Almeida e o não rendimento esperado de Edu Dracena e Roger Carvalho, ganhou espaço no time de Cuca.

Cleiton Xavier, embora tenha atuado menos de 45 minutos em toda Libertadores, mostrou que é o jogador do elenco atual com mais capacidade para vestir a camisa 10. A diferença de qualidade do seu passe no 2º tempo da partida com o River Plate é um alento para o torcedor do Palmeiras tão carente de um 10. Para o restante da temporada, sua evolução pode ser determinante para o time de Cuca.

Crédito da foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras