#Zico63Anos: Relembre o dia que Márcio Nunes quebrou a perna de Zico

Crédito da foto: Reprodução/ Facebook oficial Flamengo

O ano era 1985, Estádio do Maracanã. Em uma partida marcada pela violência, o lateral Márcio Nunes ‘voou’ de forma criminosa em Zico, vindo por cima da bola – com os dois pés -, deixando cinco lesões na perna do Galinho. Resultado: a mais grave estourou o joelho esquerdo do camisa 10 rubro-negro.

LEIA MAIS:
Zico pede um presente inusitado pelo seu aniversário de 63 anos

Zico havia acabava de voltar ao Brasil, vindo da Udinese (ITA). Era a segunda rodada do Campeonato Carioca, mais especificamente, dia 29 de agosto. Flamengo e Bangu se enfrentavam pela segunda rodada em uma partida que foi marcada pelas provocações antes mesmo da bola rolar. No dia anterior à partida, dirigentes do Bangu mandaram um avião sobrevoar a Gávea com uma faixa provocando os rubro-negros.

E, quando a bola rolou, o clima esquentou de vez. A partida estava 0 x 0, quando Zico “pegou” a bola, saiu driblando, colocou na frente e foi “parado” por Márcio Nunes, que com uma entrada violenta marcou suas travas na canela e rompeu os ligamentos do joelho de Zico.

Certa vez em entrevista ao site “O Dia”, Márcio declarou: “Ele era maluco. Os caras vieram para cima da gente igual a leões. Todo mundo estava batendo naquele dia, até mesmo o Zico. Foi quando aconteceu a jogada”.

Márcio veio por cima, com os dois pés na canela de Zico, que imediatamente saiu da partida e teve a perna engessada, ainda no vestiário. Ao final da confusão, Márcio – pelo Bangu – e Nunes – pelo Flamengo, após tomar as dores de Zico – acabaram expulsos. A partida terminou com o placar da mesma forma como iniciou.

Em entrevista concedida ao portal Terra, Zico comentou o lance: “Eu senti que era grave, porque quando todo mundo veio falar comigo, preocupado porque tinham visto as marcas na minha canela, o médico veio querendo saber se eu tinha quebrado a perna. Eu disse que o problema era no joelho que tinha rompido porque quando ele me atingiu, a perna rodou e o joelho torceu. A dor foi mais no joelho, e eu fiquei com a perna dormente porque as travas da chuteira dele romperam minha caneleira, e ficaram as marcas nas minhas canelas. E eu jogava de caneleira. Foi muito forte.”

Três anos depois do lance com Zico, em um jogo contra o Vasco, Marcio sofreu mesma lesão. Na disputa de bola com o zagueiro Fernando, ele rompeu os ligamentos do joelho e, com apenas 25 anos, teve de abandonar o futebol. Após a recuperação de Zico, eles se reencontraram em campo e, recentemente, segundo Márcio, novamente eles se viram: “Ele me abraçou. Isso me conforta muito. Ficaria arrasado se o Zico tivesse ódio de mim. Foi julgado por apenas um lance na minha vida, me sinto injustiçado”, declarou ao portal “ODia”.

Opinião:

Em dias sem Zico no Maracanã – em 1985 ou atualmente – bate saudades do Galinho, remetendo à canção “Saudades do Galinho” de Moraes Moreira: “E agora, como é que eu fico, nas tardes de domingo sem Zico no Maracanã? Agora como é que eu me vingo de toda derrota da vida se a cada gol do Flamengo eu me sentia um vencedor […]Será que tem outro em Quintino? Será que tem outro menino? Vai renascer a paixão ou não?”