Toro Rosso aposta na juventude de seus pilotos para fazer bonito na F1

during qualifying for the Australian Formula One Grand Prix at Albert Park on March 19, 2016 in Melbourne, Australia.

Mais uma vez, a Toro Rosso entra na temporada da Fórmula 1 com a dupla de pilotos mais jovem do grid. Se quase todo brasileiro fã da categoria maior de 30 anos se lembra dos tempos de Senna, eis um dado que dá a dimensão da juventude da escuderia “filial” da Red Bull: nem Max Verstappen, nem Carlos Sainz Jr., eram nascidos quando o ídolo brasileiro morreu em um trágico acidente no GP de San Marino, em maio de 1994. 

LEIA MAIS
FORCE INDIA TENTA DEIXAR PARA TRÁS DE VEZ O TÍTULO DE “INTERMEDIÁRIA”

No ano passado, a crítica foi severa com a Toro Rosso por jogar todas as suas fichas em um espanhol nascido em setembro de 1994, hoje aos 21 anos, e no holandês, que tinha 16 anos quando foi anunciado, e 17 quando começou a correr na Fórmula 1, um recorde histórico que já cravou o nome de Max Verstappen na trajetória da categoria, pela qual seu pai, Jos Verstappen, já correu nos anos 1990.

O que se viu na pista, porém, foi uma surpresa. No começo do campeonato, a Toro Rosso chegou a andar melhor que a “matriz” Red Bull. Aliás, isso remete ao ano de 2008, quando a empresa de energéticos austríaca conseguiu sua primeira vitória na Fórmula 1 justamente com a “filial”. Foi no GP da Itália, em Monza, quando a Toro Rosso venceu com o então novato alemão Sebastian Vettel, que mais tarde seria tetracampeão do mundo pela Red Bull e hoje é estrela da Ferrari.

Para 2016, a Toro Rosso volta a utilizar motores da Ferrari, que marcaram o surgimento da equipe após a compra da Minardi, no fim da década passada. Nos últimos dois anos, as duas equipes da Red Bull tiveram problemas com os propulsores da Renault, o que desgastou completamente a relação. A equipe principal, por exemplo, teve dificuldades para encontrar outra fornecedora e acabou batizando de “TAG Heuer” um modelo fornecido pela montadora francesa.

Agora, com isso, o fã da F1 terá que esperar para ver na pista se essas mudanças vão implicar em uma nova surpresa da Toro Rosso no grid, mas principalmente em relação ao time principal do grupo.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.