Relembre seis momentos do Palmeiras no velho Palestra Itália pela Libertadores

Palmeiras e Palestra Itália na Libertadores sempre foi uma simbiose de caldeirão e alegrias, embora alguns jogos acabassem em insucessos. Neste texto vamos lembrar seis jogos que marcaram a história palmeirense no velho Palestra Itália. Um deles inclui o adversário de logo mais, o Rosario Central, na partida que vai marcar a estreia do Allianz Parque.

Vitórias

Palmeiras 6 x 1 Boca Juniors – 1994 (A goleada que levou Mazinho para a Copa)

O jogo pela fase de classificação colocava frente a frente o então campeão brasileiro e uma das forças do futebol argentino. A partida aconteceu no Palestra Itália em um dia chuvoso na cidade de São Paulo e o então comandante do time de Buenos Aires (Cesar Luis Menotti, campeão mundial com a Argentina em 1978) acompanhasse de perto a pior derrota do Boca em toda sua história na competição.

Os trabalhos foram abertos por Cléber, aos 15 do primeiro tempo. A segunda etapa viu as redes do velho Palestra balançarem mais seis vezes. Roberto Carlos, aos seis, Edilson, aos nove, Evair, duas vezes aos 20 e 26, Jean Carlo aos 33 e Martinez descontando aos 34 deram números finais ao marcador. Contudo, o jogo marcou a garantia da vaga de Mazinho no grupo que seria tetracampeão mundial com a Seleção Brasileira na Copa que foi jogada nos Estados Unidos. O futebol apresentado pelo camisa 8 encheu os olhos da torcida, críticos e do treinador Carlos Alberto Parreira.

Palmeiras 5 x 1 Grêmio (Faltou um gol para os pênaltis)

Em 2 de agosto de 1995, o alviverde entrava mordido em campo, já que na semana anterior foi impiedosamente goleado no Olímpico por 5 a 0. O Verdão tinha que devolver o placar recebido para levar a decisão de uma vaga na semifinal aos pênaltis.

No entanto, o prejuízo verde aumentou logo aos oito, quando Jardel cabeceou para o fundo da rede. Ainda teriam longos 82 minutos pela frente para a eliminação traumática ou uma reação marcante, e ela foi construída aos poucos. Cafu, aos 29 empatou o jogo e dez minutos depois, Amaral (sim, o volante Amaral, aquele que trabalhou como ajudante em funerária e tinha um olho mais caído que o outro) anotou o segundo do Palmeiras. Na segunda etapa, Paulo Isidoro aos 13, Mancuso aos 24 e Cafu novamente aos 39 deixaram o sonho palmeirense de avançar de fase mais próximo. Mancuso teve a chance de fazer os 6 a 1 aos 45, só que a bola passou raspando o travessão de Murilo. A partida foi encerrada e os pouco mais de 7 mil torcedores aplaudiram o empenho dos jogadores, além de verem que os jogadores gremistas deixaram o campo de cabeça baixa, reconhecendo que a atuação verde foi superior.

Palmeiras 3 x 0 River Plate – 1999 (O show rumo a final)

Na ida, disputada no Monumental de Nuñez, o Palmeiras perdeu por 1 a 0, contando com uma grande atuação de Marcos, e o ‘Millonario’ queria segurar o resultado e ir à final. Contudo, time e torcida estava unidos naquele 26 de maio de 1999 e o gol de abertura do placar veio logo e com estilo. Aos 16, Zinho lançou Alex, que matou no peito e emendou um lindo chute a gol. Quatro minutos depois, Oséas lançou na cabeça de Roque Junior e o zagueiro ampliou.

Na segunda etapa, o River trocou um zagueiro por um atacante e pressionou atrás do gol que levaria o jogo aos pênaltis, mas aos 43, Alex (de pênalti) fez o terceiro que tranquilizou o ambiente e levou o Palmeiras à final.

Empates

Palmeiras 2 (4) x (2) 1 Deportivo Cali – 1999 (Enfim, a América é verde)

O velho Palestra abriu as suas portas na noite de 16 de junho de 1999 para a decisão da Copa Libertadores, e decisão que se preze é tensa. Este jogo foi daqueles arrastados, sofridos e nervosos e só aos 20, de pênalti, o placar foi mexido. Evair, o mesmo que fez o gol que tirou o Palmeiras da fila de títulos, justamente em cima do Corinthians, abriu o caminho para a conquista da América. Só que Junior Baiano fez um pênalti bobo aos 24 e Martin Zapata empatou. Junior, aos 30, veio pela esquerda e rolou para o meio da área quando encontrou Oséas, que anotou o 2 a 1 e que levou o jogo aos pênaltis.

Nas cobranças da marca fatal, Zinho perdeu a primeira e depois, Junior Baiano, Roque Junior, Rogério e Euller marcaram para o alviverde. Dudamel, Gavíria e Yepes fizeram para o Deportivo, com Bedoya e Zapata desperdiçando suas cobranças.

Palmeiras 0 x 0 Rosario Central (o último jogo contra o adversário de hoje)

Em 15 de março de 2006, Palmeiras e Rosario Central jogaram no Palestra Itália e o jogo teve um domínio grande da posse de bola, só que faltou um gol para que o Verdão saísse de campo vitorioso.

Palmeiras 1 x 1 Nacional – 2009 (A última vez do Palestra na Libertadores)

Dia 28 de maio de 2009, esta foi a última vez que o antigo Palestra Itália recebeu um jogo do Verdão na Libertadores, contra o Nacional do Uruguai e foi um jogo disputado, brigado e que viu o alviverde sair na frente com Diego Souza, aos 10 da segunda etapa. Só que aos 35, García igualou o marcador e fez o resultado que fazia a decisão da vaga para a semifinal ser resolvida a favor dos uruguaios com um mero 0 a 0.

Foto: site Oficial da Sociedade Esportiva Palmeiras