Quais as expectativas dos pilotos brasileiros na temporada 2016 da Fórmula 1

Reprodução/Facebook oficial Felipe Nasr

A temporada 2016 da Fórmula 1 está começando, e os dois representantes brasileiros na mais tradicional categoria do automobilismo mundial, vivem momentos distintos em suas carreiras. Felipe Nasr, 21 anos, fará apenas sua 2ª temporada pela categoria e esse será um ano em que sua busca será por afirmação na equipe Sauber. Já Felipe Massa, 34 anos é um dos veteranos dentre os participantes e correrá visando manter a equipe Williams em alto nível de competição.

LEIA MAIS:

Saiba onde acompanhar a Fórmula 1 na TV e no rádio

Sauber é séria candidata ao “rebaixamento” na F1 em 2016

Saiba como será o novo treino de classificação da F1

Analisando o momento de Massa, que terminou em 6º lugar na temporada passada, uma colocação atrás do companheiro de equipe Vallteri Bottas, a expectativa é que ele consiga ter desempenho superior esse ano e na condição de piloto número 1 da equipe, venha a brigar pelo pódio com os oponentes da Mercedes e Ferrari.

Massa, que goza de ótimo relacionamento com sua equipe e tem papel importante no desenvolvimento e acerto do carro, está otimista com os avanços de sua Williams principalmente pelos ajustes feito na aerodinâmica que foi o principal defeito apresentado em 2015. Tem destaque ainda no carro deste ano, a boa velocidade nas retas que reflete na velocidade final, ítem que também foi ajustado e que será posto a prova já no 1º GP do ano que acontece no circuito de Albert Park na Austrália neste final de semana. Este é o último ano do contrato do brasileiro com a equipe inglesa e as chances de renovação que são grandes certamente se concretizarão com uma temporada bem sucedida.

Já o brasiliense Felipe Nasr, é um novato que vem para sua 2ª temporada em 2016 correndo pela equipe Sauber. Nasr traz a marca de ser o melhor estreante brasileiro da história da Fórmula 1. Na corrida de abertura da temporada passada, também no GP da Austrália, o calouro conquistou o quinto lugar na corrida. Nasr fez um bom ano de de estreia, cometendo poucos erros que viessem comprometer seu desempenho.

A principal dificuldade a ser enfrentada por Nasr será a limitação orçamentária de sua equipe que em fevereiro já teve parte dos salários dos integrantes do time atrasado. O reflexo desses problemas refletem também no carro da Sauber, a nova asa dianteira versão 2016 estará disponível para uso apenas na 7ª corrida da temporada. E a perspectiva é que a equipe suiça lute para não ficar nas últimas posições do pelotão intermediário. Neste cenário, nossa torcida deve ser para que o talentoso e promissor Felipe Nasr continue errando pouco e com um bom desempenho possa ter oportunidade de correr por uma equipe de mais expressão em 2017.

Em 13 de novembo, no autódromo de Interlagos em São Paulo, o público brasileiro terá a oportunidade de assistir seus 2 representantes correndo no país. A corrida será a penúltima da temporada 2016.



Sou um praticante apaixonado por esportes desde sempre. Gosto de escrever sobre futebol, esportes radicais e principalmente MMA.