Opinião: Veja os problemas que Bauza precisa resolver para fazer o São Paulo melhorar

Crédito da foto: Divulgação/Rubens Chiri/saopaulofc.net

Após um ano de 2015 marcado pela irregularidade dentro de campo e por uma crise política sem precedentes em sua história, já era de se esperar que o São Paulo começasse a atual temporada sob os olhares desconfiados de seus torcedores. E a expectativa de um início de ano ruim acabou se confirmando.

LEIA MAIS:
Mercado da bola 2016: Destaque do Sporting recebe oferta para jogar no São Paulo

Depois de fazer 14 jogos oficiais em 2016, fica claro que o técnico Edgardo Bauza vem cometendo alguns erros sistemáticos, que acabam contribuindo para as más atuações. Dentre estes erros destaca-se a insistência em jogar no esquema 4-2-3-1, que se mostrou eficiente em alguns momentos da última temporada, sobretudo pelas características dos atacantes que compunham o elenco tricolor, no entanto, com os atuais jogadores, manter esta formação tática é uma falha que pode render a eliminação ainda na fase de grupos da Libertadores.

Outra característica que atrapalha o clube do Morumbi é a titularidade de algumas peças que claramente não estão contribuindo para a formação de um sistema ofensivo sólido. São os casos de Carlinhos e Centurión. Embora o atacante Rogério também tenha suas limitações, ele seria a melhor opção são-paulina para o lugar do argentino. Já em relação ao Carlinhos, uma alternativa interessante seria substituí-lo pelo recém-promovido da base Lucas Fernandes, o que implicaria em uma mudança tática, já que o garoto é meio-campista. Mas, no atual cenário, porque não arriscar?

Por fim, a forma como o São Paulo organiza suas jogadas de ataque tem sido um grande problema. Sem variação e com pouco repertório, os jogadores de Bauza acumulam cruzamentos imprecisos, passes errados, poucas jogadas pelo meio e raros chutes de fora da área. Além disso, o time ainda se mostra espaçado em campo, o que impossibilita a criação de triangulações e tabelas próximas à área do adversário.

Uma coisa é certa: se o técnico são-paulino não tentar outras alternativas, o clube do Morumbi correrá grande risco não só de ser eliminado ainda na fase de grupos da Libertadores, como também de fazer péssimas campanhas nos campeonatos que ainda estão por vir.



Formado em Jornalismo, são-paulino, profundo seguidor do universo esportivo, principalmente quando o assunto é futebol. Contato: clebermattos22@msn.com