Opinião: Corinthians começa a mostrar força após desmanche

Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Reformulado após a saída de seis titulares hexacampeões brasileiros, o Corinthians começa a dar sinais de que vai se tornar um time difícil de ser batido na sequência da temporada.

LEIA MAIS:
Após vitória sobre o Cerro Porteño, Corinthians tem 97% de chances de classificação na Libertadores
Corinthians reassume liderança do Grupo 8 da Libertadores 

Na vitória sobre o Cerro Porteno (2 a 0), na última quarta-feira, em Itaquera, pela Libertadores, já deu para perceber a evolução do time em relação aos últimos jogos. O Timão dominou o adversário desde os primeiros minutos de bola rolando, alugou o campo de defesa do rival marcando a saída de bola sob pressão. Segundo o Footstats, foram 16 finalizações (sete certas) contra 6 do Azulgrana (uma certa). O placar de 2 a 0 não retratou o que foi a partida. O mais justo teria sido uma goleada alvinegra

O volante Maycon, 18 anos, atleta alvinegro mais jovem em campo, foi escolhido por Tite como o substituto do suspenso Rodriguinho e teve ótima atuação. Foi ele o responsável pela primeira grande chance de gol. Meteu bola na trave nos primeiros minutos da etapa inicial. Fez bons desarmes e se infiltrou com frequência na defesa adversária sendo o dublê de Elias, que segue no departamento médico. Não sentiu o peso da responsabilidade em estrear na competição sul-americana.

O atacante Lucca foi o protagonista da partida ao abrir o placar e participar da jogada do segundo gol. Ele cruzou e o zagueiro Mareco jogou contra o próprio patrimômio. Antes disso, o jogador esteve perto de fazer um gol de placa ao fintar toda a defesa adversária e bater para defesa sensacional de Silva.

O Corinthians, com alguns titulares poupados, já havia ido muito bem no final de semana, na vitória sobre o Botafogo-SP (3 a 0), em Ribeirão Preto, pelo Paulistão, e inclusive no primeiro tempo contra o Cerro Porteño, em Assunção, quando fez 1 a 0 e teve outras chances para ampliar o placar, mas falhou nas conclusões. Na etapa final, com o desequilíbrio emocional de seus jogadores, a equipe ficou com dois homens a menos e permitiu a virada dos paraguaios.

Obviamente, como ainda segue em reconstrução, o Corinthians ainda deve oscilar nas próximas semanas, mas o importante é que o técnico Tite parece ter encontrado o caminho para colocar o time de volta ao mapa das conquistas. Mas vale um recado: o Timão não voltará a ser tão forte como a versão 2015, que tinha Jadson e Renato Augusto como os grandes destaques. Os substitutos Guilherme e Giovanni Augusto não possuem a mesma qualidade.

Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)