Opinião: Confusão no elenco pode colocar o Palmeiras fora da Libertadores

Cuca substitui Marcelo Oliveira no comando do Verdão em 2016. Foto: César Greco/Ag. Palmeiras

É, meus caros, futebol não é mágica e Cuca muito menos o Salvador da Pátria do Palmeiras.

LEIA MAIS:
Opinião: Diretoria do Palmeiras é a grande culpada pelos resultados na Libertadores

A derrota por 1 x 0 contra o Nacional do Uruguai, fora de casa, pela Copa Libertadores da América, foi um resultado normal, dentro das proporções da competição.

Não podemos fazer um julgamento em cima de Cuca pelo resultado negativo, até por que o treinador chegou em um “fogo cruzado” com apenas três dias de trabalho.

Por mais que seja competente, o novo treinador não iria trazer um fato novo de jogo para equipe do Palmeiras, por mais que tenha feito alterações no time titular.

A classificação está em risco por causa do mal planejamento traçado pela diretoria, e pelo desempenho dos atletas.

A direção foi teimosa em manter Marcelo Oliveira em 2016 mesmo com o titulo da Copa do Brasil. Em entrevista ao canal Sportv, o diretor de futebol Alexandre Mattos, assinou o “atestado de incompetência”, quando declarou que a demissão de Marcelo Oliveiras já estava planejada. Oras, por que não o demitiu no inicio deste ano?

Paulo Nobre foi defensor da permanência do ex-treinador até a ultima instância, e de fato a demissão partiu do próprio presidente.

Em fevereiro, Mattos chegou a dizer a Paulo Nobre que a situação de Marcelo Oliveira era insustentável dentro do clube. Nobre, mesmo assim, bancou o agora ex-comandante.

São situações que mostram conflitos da direção dentro do planejamento traçado para 2016, e colocaram a classificação do Palmeiras para a próxima fase da Libertadores em risco.

Já dentro de campo, os jogadores não correspondem. A vitória no clássico contra o São Paulo foi um capitulo à parte, até por que o elenco precisava dar uma resposta de emergência para a torcida.

Mas, diante do Nacional, ficou claro que falta um algo a mais na parte técnica e tática. O gol tomado pela equipe alviverde foi em uma falha de posicionamento do sistema defensivo. O experiente Zé Roberto deixou em liberdade Nicolás Lopez para marcar o único gol da partida.

Emocionalmente, o time não tem reação para reverter o placar adverso. Aliás, esse lado emocional é algo que vem tirando o sono dos jogadores. Publicamente os atletas dizem que o emocional é um sério empecilho do time verde.

Falta “personalidade”? Talvez, com Cuca no comando, a confiança pode voltar, mas o elenco tem que mudar de postura e encarar a realidade.

Cuca terá 19 dias para preparar o time diante do Rosário Central, na Argentina, pela Libertadores.

Até lá, serão quatro jogos pelo Paulistão. Nas vésperas do jogo contra o time argentino, o Verdão tem clássico contra o Corinthians em casa.

No próximo final de semana, o Palmeiras enfrenta o Audax em Osasco iniciando essa série de quatro jogos. Para o duelo, Cuca já afirmou que Gabriel Jesus será titular.

É, meus caros, vamos aguardar a mudança de atitude dos jogadores e diretoria durante a preparação até o jogo “final”, porque até agora esse “bate-cabeça” de ambos colocou o primeiro semestre verde em risco.



Rafael Jacobucci - O Faro da Bola. - Repórter - Comentarista - Apresentador