O outro lado: em ato de nobreza, De Rossi põe medalha de 2006 em caixão de roupeiro da seleção

Crédito da foto: Reprodução/Facebook/AS Roma

 

Sua fama dentro de campo não é das melhores entre os adversários, porém, fora dele, não dá para se dizer o mesmo. Pelo contrário: pode-se ver um homem bom. Esse é Daniele De Rossi, experiente volante da Roma (ITA), que demonstrou um ato de nobreza no enterro do roupeiro Pietro Lombardi, que morreu nesta semana, aos 92 anos.

VEJA MAIS
MERCADO DA BOLA 2016: REAL MADRID OBSERVA DUPLA DA ROMA PARA A PRÓXIMA TEMPORADA
VÍDEO: QUE CORAGEM! GOLEIRO DA ROMA APLICA DRIBLE HUMILHANTE EM ATACANTE
APRESENTADORA DA ROMA TV É DEMITIDA POR CURTIR POSTAGEM QUE DEFENDIA TOTTI
TOTTI DEIXA CONCENTRAÇÃO APÓS DESENTENDIMENTOS COM TREINADOR DA ROMA

Segundo o jornal Gazzetta dello Sport, o atleta romanista doou sua medalha de campeão mundial em 2006 pela seleção italiana ao companheiro, que trabalhava nos vestiários da Itália naquela Copa do Mundo vencida na Alemanha. Ele a colocou sobre o caixão do amigo para que ele pudesse ser enterrado junto ao objeto mais desejado por um jogador de futebol.

O meia Francesco Totti, também da Roma e que estava no grupo da Azurra naquele campeonato há dez anos, homenageou Lombardi por meio de seu blog. “Foi embora um campeão do mundo em 2006: se chamava Pietro, mas, para todos, era o ‘Escova’. Uma grande pessoa, à quem tinha afeto especial. Torcia para a Viola (Fiorentina), mas sempre teve muito respeito e admiração de todos os jogadores da seleção. Uma pessoa única, que fará muita falta”, escreveu o camisa 10.



Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade. Atualmente como repórter colaborador no site Torcedores.com.