Hoje, Tite esta para o Corinthians, como a “Bola esta para o Futebol”

Divulgação

Estamos acostumados a ver grandes jogadores sendo glorificados por torcedores e até pela imprensa, porem, de alguns anos para cá, especialmente com a torcida Corinthiana, o maior ídolo veste terno e fica no banco de reservas, Adenor, o Tite.

O técnico Tite, comandante da equipe do Corinthians é hoje tão importante para o time como a “Bola é para o futebol”. Pode parecer exagero, afinal, sem bola, não há futebol, e sim, hoje, sem Tite no Corinthians, provavelmente não teria um bom futebol jogado pela equipe.

A trajetória do técnico até a conquista do mundial de 2012, dispensa comentários, literalmente formou uma equipe, um grupo, para vencer, não tinha um craque, o grande destaque da equipe era a equipe, porem, seu maior triunfo como comandante Corinthiano veio em seu retorno ao clube no ano de 2015.

Leia também:

Banco Santander faz ação publicitária e torcedores do Corinthians ganham ingresso

Pegou o time, vindo de um 2014 morno, uma dura eliminação da copa do Brasil e foi tudo que a equipe conquistou no ano anterior. E para piorar Tite tinha juntamente com os atletas, uma pré libertadores pela frente, algo que poderia ser dramático e fatal, lembrado do caso Tolima em 2011.

Pois bem, Tite começou montar sua equipe, passou pela pré-libertadores sem maiores problemas, assim como pela primeira fase da equipe, foi ai, que em 2015 começou o pior momento para o Corinthians. Eliminado na semi-filnal do Campeonato Paulista, pelo arquirrival Palmeiras, nos pênaltis, dentro da própria Arena, ai então veio a precoce eliminação na Copa Libertadores para um time de “pequena expressão”, o Guarani do Paraguai.

Além das eliminações, a equipe sofria com atrasos dos direitos de imagem dos seus principais atletas, até que chegou o momento e Tite perdeu 2 de seus principais jogadores; Paolo Guerreiro não renovou e acertou com o Flamengo, Emerson Sheik seguiu o mesmo caminho, porem, pelo fato da diretoria não ter renovado seu contrato, e há essa altura, Tite já tinha perdido Lodeiro, até então titular do treinador, para o Boca Juniors.

O Corinthians passou do time á ser batido para um time comum, na vista de outros clubes, torcedores e imprensa, sim, a equipe sentiu muito tantas mudanças, começou o brasileirão muito mau, até começar brilhar a estrela de Tite, arrumou o time, encaixou as peças, colocou a cabeça dos atletas no lugar, e juntamente com seus comandados, deixou os atrasos de lado.

Esta ai, esse foi o primeiro “milagre” de Tite, com sua reformulação, fez um time quase imbatível, e foi campeão Brasileiro.

Então chega 2016, todos ainda elogiam muito a incrível equipe do ano anterior e o excelente futebol jogado, principalmente pelo meio campo Corinthiano, foi então que os problemas começaram aparecer. Jadson, Ralf, Renato Augusto, Gil, Vagner Love, Malcom, todos titulares do titulo brasileiro, se despediram do CT Joaquim Grava, e foram desfilar seu futebol na China e França.

Lá vai o comandante, passar por uma nova reformulação e montar uma nova equipe. Há essa altura, a torcida confia e acredita muito no treinador, chegaram Giovanni Augusto, Willians, Guilherme, Balbuena, Vilson, Marlone, Alan Mineiro, André entre outros.

O treinador se manteve fiel aos remanescentes do ano anterior, aos “trancos e barrancos” foi levando a equipe, somando seus pontos e superando barreiras, em muitas partidas pelo placar simpres, 1 a 0, mas o momento dos reforços sairem jogando chegou e então Tite os pôs em campo, ainda sem total entrosamento, mesmo assim, não sofreram uma derrota.

O técnico os poupou diante da derrota do Santos, alguns torcedores questionaram, mas calma, Tite tem seus motivos, na quarta-feira seguinte, nova derrota, agora para o Cerro Porteño, fora de casa, e com os titulares em campo, alguns novamente questionaram os poupados diante do rival na partida anterior. No último domingo(13), diante do Botafogo-SP pelo campeonato Paulista, enfim Tite mostrou suas armas, e o time voltou a jogar um futebol envolvente. O garoto Maycon, substitui o machucado Elias, e foi o grande destaque da partida, e fez brilhar os olhos do técnico, que sempre bateu o pé, avisando do ótimo futebol do garoto.

Eis que chega o jogo de volta, pela libertadores, diante do Cerro Porteño, desta vez na Arena Corinthians, mais uma vez, jogou um bom futebol, triangulações, infiltrações, troca de passe rápida, paciência e ai está; Tite chegou ao seu “segundo milagre”, pela segunda vez reformulou quase que um time todo, encaixou, mostrou e os fez jogador futebol.

Ainda não é o futebol de 2015, fato, mas vai chegar, vai ser, e sim, com Tite no banco de reservas, pode esperar por mais títulos esse ano torcedor Corinthiano.

Tite, és um MITO, um baita profissional, e sim, hoje é o ídolo da fiel torcida, diferente dos outros, veste terno e fica no banco.

 

Foto: Reprodução/ Facebook Corinthians